Regional I permanece na liderança de óbitos por coronavírus em Fortaleza, mas Regional V tem avanço significativo

25/05/2020 - Marcelo Raulino

O bairro Barra do Ceará, com 71 óbitos, 26 a mais que no levantamento anterior continua em primeiro lugar nesse quesito.

Movimentação no bairro Vicente Pinzon

A Regional I, com 352 ocorrências, continua liderando o número de óbitos por coronavírus em Fortaleza, apesar de ser a quarta em registros de casos, segundo o último Boletim Epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Saúde do Município. No entanto, foi na Regional V que a doença mais avançou, com 149 mortes a mais com relação a semana epidemiológica anterior. O bairro Barra do Ceará, com 71 óbitos, 26 a mais que no levantamento anterior continua em primeiro lugar nesse quesito. Mas, o bairro com mais casos da doença é o Meireles, com 638 confirmados.

Entre os cinco bairros com maior número de casos, dois contam com os maiores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) da Capital: Meireles (638 casos e 33 óbitos) e Aldeota (461 casos e 26 óbitos), reflexo ainda do início da epidemia. Os outros três são bairros populosos com alta letalidade; a Barra do Ceará (424 casos e 71 óbito) ou onde o aumento da transmissão foi perceptível mais recentemente: Jangurussú (337 casos e 24 óbitos) e Messejana ( 364 casos e 20 óbitos).

Além desses, houve aumento em grandes aglomerados populacionais contíguos das Regionais II; Cocó (239 casos e 9 óbitos), Papicu (257 casos e 21 óbitos) e Vicente Pinzon (232 casos e 45 óbitos); da III; Quintino Cunha (179 casos e 26 óbitos), Autran Nunes (102 casos e 21 óbitos) e Antônio Bezerra (174 casos e 28 óbitos); e da V; Mondubim (288 casos e 42 óbitos) e José Walter (218 casos e 30 óbitos), que estão situados na faixa intermediária em relação ao ranking de casos confirmados por bairro.

A Regional VI, a mais populosa de Fortaleza, permanece relativamente com baixa morbidade. Embora a transmissão, medida pelos casos novos, tenha aumentado significativamente nos dois maiores aglomerados populacionais (Messejana e Jangurussu), a maioria dos bairros ainda registra menos de cem casos. A alta letalidade de alguns bairros de baixo IDH (Cristo Redentor, Cais do Porto, São João do Tauape, Autran Nunes, Granja Lisboa), com elevado número de mortes e incipiente número de casos, ainda indica testagem limitada.

Atualmente 119 bairros de Fortaleza já registraram mortes de residentes. Há uma tendência de concentração de mortes, principalmente, na Regional I (com destaque para Barra do Ceará, Vila Velha e Cristo Redentor); nos bairros que fazem divisa com Caucaia, da Regional III; e nos aglomerados da Regional II Meireles/Aldeota, Vicente Pinzon/Cais do Porto e São João do Tauape (Grande Lagamar).

Conforme a SMS, o aumento recente das mortes em alguns bairros da Regional V (Granja Lisboa, Granja Portugal, Bom Jardim, Planalto Ayrton Senna e Mondubim), não foi similar ao que aconteceu na Regional VI. Nesta, nenhum dos bairros teve mais de vinte vítimas fatais. Destaca que o cenário epidemiológico da Regional VI parece diferir, no que se refere à morbimortalidade. Isso pode indicar uma menor taxa de ataque na região, o que significaria uma maior população suscetível. Nessa regional, a grande maioria das mortes ocorreu entre moradores de bairros de baixo e muito baixo IDH.

COVID-19: NÚMERO DE CASOS E ÓBITOS. REGIONAIS – FORTALEZA

REGIONAL CASOS ÓBITOS
I 1.931 352
II 3.350 296
III 1.801 253
IV 1.538 180
V 2.390 342
VI 2.821 223
INVESTIGAÇÃO 4.853 1
TOTAL 18.684 1.647

BAIRROS COM MAIS CASOS E ÓBITOS POR COVID-19

BAIRRO CASOS ÓBITOS
MEIRELES 638 33
ALDEOTA 461 26
BARRA DO CEARÁ 424 71
MESSEJANA 364 20
JANGURUSSU 337 24
MONDUBIM 288 42
PASSARÉ 266 17
BOM JARDIM 259 28
PAPICU 257 21
CONJUNTO CEARÁ 1 250 14
COCÓ 239 9
CENTRO 221 28
PREFEITO JOSÉ WALTER 218 30
FÁTIMA 216 21
VILA VELHA 198 43

Foto: Érika Fonseca