Grupos de riscos tem prioridade nos serviços de saúde

21/03/2020 - Marcelo Raulino

Os serviços de saúde têm priorizado os grupos de risco do coronavírus (Covid-19). Em todo o mundo a doença tem sido mais severa com as pessoas mais velhas e com doenças associadas, que correm mais riscos de complicações e mortes. Conforme literatura mundial o coronavírus causa adoecimento, principalmente, em pessoas acima de 40 anos de […]

Os serviços de saúde têm priorizado os grupos de risco do coronavírus (Covid-19). Em todo o mundo a doença tem sido mais severa com as pessoas mais velhas e com doenças associadas, que correm mais riscos de complicações e mortes. Conforme literatura mundial o coronavírus causa adoecimento, principalmente, em pessoas acima de 40 anos de idade. Quanto maior a idade mais riscos. Por isso, essas pessoas precisam de atenção especial.

Outro grupo vulnerável é o formado por profissionais de Saúde. Eles estão mais propensos ao contágio devido o contato direto com pessoas infectadas e por estarem em ambiente impregnado por gotículas de espirros e tosses e por superfícies contaminadas. Podem ser incluídas também pessoas que cuidam ou convivem com pessoas do grupo de risco. Essas devem ter maior preocupação e cuidados de manter uma distância razoável das pessoas contaminadas quando elas falam, espirram ou tossem, para que não sejam contaminadas. Não devem também compartilhar objetos como toalhas de rosto, copo, garfo e faca.

Também fazem parte do grupo de risco: diabéticos, hipertensos, doentes renais, fumantes, que têm o pulmão mais prejudicado por causa do cigarro, pessoas com doenças crônicas, com problemas cardíacos ou respiratórios, a exemplo de bronquite asmática.

As pessoas com quadro leve de gripe podem ser cuidadas em casa com dipirona, hidratação e repouso, mas é necessário que sejam atendidas em uma unidade de saúde. O tratamento em casa pode ser estendido para pessoas que estiverem com nariz escorrendo, tosse e febre baixa. Já as acometidas com tosse intensa, catarro com pus, febre alta com calafrios, falta de ar, e extremidades arroxeadas, devem ser levadas com urgência para o hospital.

O paciente que apresentar os sintomas deve procurar o posto de saúde mais próximo de sua casa. Lá, ele deve ser encaminhado para fazer o exame em uma das seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) que existem na capital ou no Hospital São José.

ENDEREÇOS – UPAS

UPA VILA VELHA: Rua L com Rua G s/n, Vila Velha

UPA CRISTO REDENTOR: Av. Presidente Castelo Branco com a Rua Alves de Lima. Telefone: 3284-2321

UPA BOM JARDIM: Rua João Gentil com Av. Sgt. João Pinheiro. Telefone: 3245-8339

UPA ITAPERI: Rua Betel, SN, próximo da UECE Campus Itaperi. – Telefone: 8970-5379

UPA JANGURUSSU: Av. Contorno Sul, SN, com Av Castelo de Castro. Telefone: 3269-7028 / 3269-7421

UPA EDSON QUEIROZ – DENDÊ: Rua do Contorno, no Bairro Edson Queiroz, por traz da UNIFOR, s/n

HOSPITAL SÃO JOSÉ DE DOENÇAS INFECCIOSAS – Rua Nestor Barbosa, 315 – Parquelândia

Foto: Mateus Dantas