Câmara realiza treinamento com brigadistas e servidores para utilização de extintores de incêndio

16/01/2020 - Cleonardo Dias

A Câmara Municipal de Fortaleza promoveu para a Brigada de Incêndio da Casa e demais servidores interessados, um treinamento para utilização de extintores de incêndio. A capacitação foi realizada em parceria com a empresa de consultoria e assessoria técnica Eixo 7. A iniciativa visa fortalecer ainda mais o sistema de prevenção de incêndio da instituição. […]

A Câmara Municipal de Fortaleza promoveu para a Brigada de Incêndio da Casa e demais servidores interessados, um treinamento para utilização de extintores de incêndio. A capacitação foi realizada em parceria com a empresa de consultoria e assessoria técnica Eixo 7. A iniciativa visa fortalecer ainda mais o sistema de prevenção de incêndio da instituição.

A técnica de segurança do trabalho da Câmara Municipal, Fabiana Oliveira, destacou a importância do treinamento para o manuseio correto dos equipamentos de segurança. “A Casa é muito bem equipada com relação ao material de segurança, mas as vezes não sabemos utilizar. Esse momento agora é para relembrar a utilização dos equipamentos através da parte prática e teórica”, finalizou.

Na ocasião, os técnicos da Eixo 7 demostraram a utilização do hidrante, mangueira e os tipos de extintores de incêndio portátil.

Fique por dentro

Os tipos de incêndio podem ser divididos em 5 classes:

Classe A – são os incêndios causados por materiais sólidos, como papel, madeira, tecidos, algodão, madeira etc.

Classe B – são classificados dessa forma os incêndios causados por materiais líquidos, gases inflamáveis ou sólidos que se tornam líquidos. Alguns exemplos são gasolina, querosene, óleo, parafina, tintas, graxas etc.

Classe C – quando há envolvimento de equipamentos elétricos que estejam energizados. Alguns exemplos são geradores, quadros e cabos de força, computadores, transformadores etc.

Classe D – diz respeito a fogos causados por metais pirofóricos. Ou seja, metais que em partículas finas pode entrar em combustão facilmente. Alguns exemplos são zinco, titânio, urânio e lítio.

Classe K – ocorrem com incidência de óleo de cozinha e gorduras. Geralmente acontecem com fritadeiras, grelhas, assadeiras, frigideiras e equipamentos onde essas substâncias atingem altas temperaturas.

Já os extintores de incêndio são divididos em 8 categorias:

1. Extintor com carga de água. Nesses extintores a base do conteúdo do equipamento é água potável pressurizada. Seu uso é recomendado para apagar fogos do tipo A.

2. Extintor com carga de espuma mecânica. A espuma mecânica contida nesses extintores é constituída por uma espécie de detergente concentrado (LGE). Quando essa substância se mistura com a água e o ar, durante o choque mecânico que ocorre com a saída dela, produz-se a espuma. Essa, então, forma uma película sobre o fogo, que o abafa e resfria, combatendo a chama. Por essas razões, é mais indicada para apagar incêndios de classe B e A.

3. Extintor com carga de dióxido de carbono (CO2). A ação do dióxido de carbono é dada através do abafamento da chama, seguindo-se do resfriamento. Sua maior vantagem é não conduzir corrente elétrica. No entanto, por causa do CO2 pode ser altamente asfixiante. Por isso, seu uso não é recomendado em ambientes pequenos. As propriedades citadas acima tornam esse tipo de extintor a melhor opção para combater fogaréus de classe C e K.

4. Extintor com carga de pó químico. O extintor com essa carga, como o nome já diz, é direcionado aos incêndios de foco B e C.

5. Extintor com carga de pó químico ABC. O pó químico ABC possui uma composição química adaptável e por isso é recomendado para combater queima em acidentes industriais, residenciais e comerciais.

6. Extintor com carga de halogenados (halon). Ele pode ser utilizado para os do tipo A, B e C. Ou seja, ele apaga chamas de matérias sólidas comuns, de líquidos e sólidos inflamáveis e os causados por correntes eletrizadas.

7. Extintor da classe D. O agente extintor dessa classe funciona a base de cloreto de sódio. É utilizado apenas para os incêndios da classe D, pois isola o metal da atmosfera, impedindo um maior alastramento.

8. Extintor da classe K. Esse extintor foi desenvolvido para lidar exclusivamente com incêndios da classe K. Como o fogo causado por óleos de cozinha são extremamente difíceis de apagar, o composto possui particularidades que visam ter reações químicas a fim de minimizar o calor.

Informações: site/conect