Ao fazer uso do Pequeno Expediente, na sessão ordinária desta terça-feira, 21, o vereador Sargento Reginauro (sem partido) ponderou que o mérito dos resultados obtidos no Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece) 2018, ao contrário do que foi apontado pelo vereador Evaldo Lima (PCdoB), não são da gestão e sim dos alunos e professores. De acordo com o parlamentar, quando se trata de investimento na educação em Fortaleza não há muito o que comemorar.

O vereador denunciou que até agora há alunos que não receberam o kit escolar, e estão sem agenda e uniforme, apontando ainda que obras foram interrompidas por falta de orçamento. “Isso não é investimento em educação e apesar dos números, que foram apresentados por Evaldo, não nos dá condição de comemorar. São obras paradas, laboratórios e bibliotecas fechadas, então temos que parabenizar é os professores, as crianças e as famílias pelo esforço que fazem diante dessas condições precárias”, destacou.

Denúncias:

O parlamentar ainda solicitou que as Comissões de Direitos Humanos, Educação e de Saúde da Câmara realizassem visita às escolas Thomaz Pompeu Sobrinho e Professora Vicentina Campos Marinho Lopes, para averiguarem denúncias feitas pela população.

Segundo o vereador, na primeira escola, não possui mesa e cadeiras no refeitório e os alunos fazem suas refeições no chão. Já na outra escola, que abriga no mesmo terreno um posto de saúde, a denúncia é de que há uma fossa aberta no local. “Espero que as Comissões atendam as nossas solicitações e façam essas visitas para cobrarem da gestão”, ressaltou.

A presidente da Comissão de Direitos Humanos, vereadora Larissa Gaspar (PPL), destacou que já é uma prática do colegiado e que o parlamentar pode contar com seu apoio. “Vossa excelência conta com nosso empenho, meu e dos demais vereadores da Comissão de Direitos Humanos, para realizar a visita à essas escolas”, assegurou a parlamentar.

Foto: Érika Fonseca.