Ao fazer uso do Grande Expediente, na sessão ordinária desta terça-feira, 23, o vereador Iraguassú Filho (PDT) questionou o futuro da educação no país, com a extinção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), previsto para o final de 2020.

Criado em 2006, o Fundeb é o principal fundo destinado à educação básica no Brasil. De acordo com o parlamentar, pelo menos 60% do dinheiro do Fundeb é aplicado no pagamento do salário dos professores da rede pública na ativa. O dinheiro também pode ser usado na remuneração de diretores, orientadores pedagógicos e funcionários, na formação continuada dos professores, no transporte escolar, na aquisição de equipamentos e material didático, na construção e manutenção das escolas. Só em 2018, segundo Iraguassú, o Fundeb destinou R$ 141 bilhões para a educação básica no país.

“O tema que venho trazer aqui hoje não é uma temática que tenho o domínio técnico mas que muito tem preocupado os profissionais da educação, os governadores e os prefeitos do nosso país. Hoje o Fundeb se tornou necessário e indispensável para os investimentos na educação, mas o problema é que ele acaba em 2020. E a gente não viu ainda o debate pelo atual governo para que o Fundeb se torne algo definitivo. Então a nossa preocupação é justamente saber como vai ficar a situação da educação no país sem esse recurso?”, questionou.

O parlamentar sugeriu ao presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique (PDT), a realização de um Seminário para discutir a temática no Poder Legislativo. “Nós falamos com o presidente e ele já sinalizou que tem sim o interesse fazer um Seminário nesta Casa para debatermos a importância do Fundeb para o futuro da educação no país”, destacou.

Foto: Érika Fonseca