A Câmara Municipal de Fortaleza realizou na tarde desta quinta-feira, 13, uma sessão solene em homenagem as entidades e militantes que se destacaram na defesa e promoção dos direitos da população LGBT. Celebrou-se o Dia de Combate à Homofobia e o Dia do Orgulho LGBTI, como aporte para a comunidade que atenta para o crescimento do preconceito e da violência. A solenidade é de propositura da vereadora Larissa Gaspar (sem partido).

Vereadora Larissa Gaspar reforçou a importância da solenidade. “A gente resolveu fazer um reconhecimento, uma homenagem às instituições que há muito tempo vem atuando em Fortaleza e no Ceará para garantir o direito a cidadania e a dignidade da população LGBT. Buscamos seis instituições que têm essa luta no seu cotidiano”, frisou a parlamentar.

“É importante a gente delimitar esse espaço de diálogo com o parlamento”, disse Jônatas de Oliveira, presidente do Coletivo LGBT Flor no Asfalto, que agradeceu a homenagem recebida na Casa do Povo. “Para nós que representamos o coletivo de periferia a homenagem tem uma dupla importância, pois a gente trata da juventude de periferia e os LGBTs que habitualmente não se vê representado nesse espaço”, disse. Vale ressaltar, que o Flor no Asfalto é um movimento criado há 2 anos no bairro do Lagamar que visa discutir e efetivar ações contra a LGBTfobia.

Para o presidente do coletivo Asa Branca, Francisco Pedrosa, o preconceito e a intolerância tem crescido no país. “Aqui no Estado, também em Fortaleza, os índices de assassinato estão crescendo, daí a importância dessa homenagem especialmente nesse período do orgulho LGBT, onde celebra-se datas históricas no mundo todo. É um período muito especial pra gente comemorar os direitos humanos, das pessoas LGBTs, a vida”, ressaltou.

Composição da mesa: Vereadora Larissa Gaspas, Francisco Pedrosa; presidente do Grupo Asa Branca, Javier Garcia; coordenador do curso profissionalizante para mulheres trans, Jane da Silva; presidente do Centro Popular de Cultura e Ecocidadania, Nilza Farias; presidente do Projeto Arte de Amar, André Rossati; secretária de Relações Públicas da Associação de Travestis do Ceará, Jônatas de Oliveira; presidente do Coletivo Flor no Asfalto.

Galeria

Saiba Mais:

28 de junho é o Dia do Orgulho LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e pessoas intersex), data celebrada e lembrada mundialmente, que marca um episódio ocorrido em Nova Iorque, em 1969. Naquele dia, as pessoas que frequentavam o bar Stonewall Inn, até hoje um local de frequência de gays, lésbicas e trans, reagiram a uma série de batidas policiais que eram realizadas ali com frequência.

O levante contra a perseguição da polícia às pessoas LGBTI durou mais duas noites e, no ano seguinte, resultou na organização na 1° parada do orgulho LGBT, realizada no dia 1° de julho de 1970, para lembrar o episódio. Hoje, as Paradas do Orgulho LGBT acontecem em quase todos os países do mundo e em muitas cidades do Brasil ao longo do ano.
(FONTE: Anistia Internacional)

Fotos: Evilázio Bezerra.