Vereadores repercutem quadra chuvosa em Fortaleza

20/02/2024 - Rochelle Nogueira

Os vereadores têm o tempo de até 10 minutos para repercutir os assuntos de interesse da cidade.

Durante o Grande Expediente desta terça-feira (20), vereadores utilizaram a tribuna com destaque para a quadra chuvosa em Fortaleza. O presidente em exercício, vereador Paulo Martins (PSB), destacou que ações preventivas na cidade iniciaram em dezembro de 2023, no sentido de conter alagamentos e transtornos. No entanto, com a maior chuva sofrida pela cidade dos últimos 50 anos, de 215 ml, alguns danos foram causados à população. “Passamos por uma grande chuva em Fortaleza e nesse final de semana soubemos do desabamento de uma casa. Estivemos lá prestando nossa solidariedade e disponibilizando o aparato municipal para essas pessoas”, disse.

Pelo tempo da liderança do Executivo, o vereador Iraguassú Filho (PDT) reforçou que a Prefeitura desenvolve ações contínuas de prevenção em canais, lagoas e pontos de lixo. “A gestão municipal só em 2023 retirou mais de 50 mil toneladas de resíduos dos recursos hídricos, há ações preventivas e permanentes nos recursos d´água da cidade. Nos primeiros 45 dias de 2024, foram feitas limpezas em 18 canais da cidade e as equipes continuam agindo. A previsão de investimentos em drenagem, pisos Inter travados, requalificação urbana é de R$ 1,5 bilhão para melhoria da população”, evidenciou a liderança do governo.

PP Cell (PSD) também falou das ações preventivas para o período de chuva em Fortaleza, afirmando que foram realizadas mais de 300 limpezas, somando 50 mil toneladas de resíduos retirados, 35 chamadas por quedas de árvores e diversos canais da cidade limpos.

O vereador Leo Couto (PSB) também repercutiu o tema. Para o parlamentar, a demanda é recorrente e não há resultados quanto a solução dessa situação. “A chuva já está causando danos e vítimas na cidade. Quais ações de prevenção foram tomadas para a quadra invernosa que todo ano apresenta esse mesmo problema?”, questionou o vereador.

Corroborando com o vereador, pela liderança partidária, a vereadora Adriana Nossa Cara (PSOL) destacou que os problemas que decorrem das chuvas é tema recorrente na cidade de Fortaleza, principalmente nas periferias. “Enchente em Fortaleza acontece todo ano. A comunidade do Poço da Draga existe há 100 anos e nesse período de chuva tem enchente mais de uma vez”, citou.

Pelo tempo da liderança da Oposição, o vereador Gabriel Aguiar (PSOL) apresentou em plenário um mapa de vulnerabilidade climática da cidade de Fortaleza. Ele fez um comparativo entre estudos realizados ainda em 2019, por uma Câmara técnica, em que alguns bairros aparecem próximos as zonas com tendências em alagamentos. “Para 2040, segundo o mesmo estudo, praticamente todos os bairros da cidade enfrentaram o cenário de emergência climática”, disse o vereador solicitando atenção maior da gestão para a temática.

Programa Vida Nova

O vereador Moura Taxista (PSB) repercutiu sobre diversas ações que estão sendo implementadas pela Prefeitura Municipal de Fortaleza. Na oportunidade, Moura destacou o programa Vida Nova lançado recentemente pela gestão Municipal. “O prefeito anunciou um pacote de investimentos na cidade na ordem de R$ 2,2 bilhões. Não é só um projeto de obras, mas um projeto de inclusão social”, disse Moura trazendo para o centro do debate outras pautas como saúde, educação, mobilidade, pavimentação.

Governo do Ceará

O vereador Lúcio Bruno (PDT) apresentou um comparativo entre as ações realizadas pelo Governo do Estado do Ceará durante o primeiro ano de governo. Lúcio Bruno ressaltou não ter sido cumprido algumas medidas. “Filas eletivas congeladas no Sus, aumento de impostos do ICMS, água e esgoto, o projeto Vai e Vem somente para estudantes, tarifa de água do Rio São Francisco, perca do projeto de Hidrogênio Verde para o Piauí”, atentou.

Foto: André Lima