Câmara realiza sessão solene em homenagem ao bailarino Hugo Bianchi

09/06/2022 - Marcelo Raulino

Hugo Alves Mesquita, mais conhecido como Hugo Bianchi, nasceu em Fortaleza, em 29 de abril de 1926 e faleceu em Fortaleza, 18 de janeiro de 2022). Foi um bailarino, professor e coreografo.

A Câmara Municipal de Fortaleza realizou Sessão Solene, nesta quinta-feira (09∕06), em homenagem ao bailarino Hugo Bianchi, em atendimento ao requerimento 0299∕2022, de autoria do vereador Júlio Brizzi (PDT), aprovado por unanimidade pelo Plenário da Casa Legislativa. A solenidade teve como objetivo prestar as devidas homenagens ao bailarino Hugo Bianchi, não apenas para ressaltar toda a sua contribuição para o ballet cearense e nacional, mas também em virtude do seu falecimento ocorrido no dia 18 de janeiro de 2022.

A Sessão solene foi presidida pelo vereador Júlio Brizzi, em nome do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Antônio Henrique (PDT) e a mesa de honra foi formada por: diretora da Associação das Academias de Dança do Ceará, Mônica Luíza Xavier de Lima e o diretor da Academia de Ballet, Francisco Gleidson Mendes Félix Ramazzotti

Em sua saudação aos presentes e aos homenageados, o vereador Júlio Brizzi agradeceu a presença de todos e afirmou que a homenagem é simples diante da importância do Hugo Bianchi, mas também homenageia toda a dança do Ceará. “Quando ele nasceu era muito difícil ser artista, era uma coisa muito restrita pelo preconceito, porque quem fazia arte as pessoas diziam que não trabalhavam. O professor Hugo teve a coragem de seguir seu coração, e isso não tem preço, quando descobrimos nossa paixão é muito mais do que ter diploma e o Hugo conseguiu ouvir o que tinha dentro de si, entender o que tinha que fazer com paixão,” afirmou

Brizzi comentou que Hugo Bianchi iniciou sua caminhada em Fortaleza e daqui foi para o Rio de Janeiro. “Eu tive a grande alegria de ter tido momentos com o Professor Hugo quando ele contou com detalhes sua história. Ouvi atentamente, com muita gratidão, as suas histórias de dificuldades que teve no início no Rio de Janeiro, de dormir na rua e não ter como se alimentar, mas nunca desistiu. Quando retornou para Fortaleza se dedicou ao ballet no Theatro José de Alencar e virou referência, depois voltou para o Rio e lá montou grandes espetáculos. Em 1966 criou o Ballet Hugo Bianchi, O que aprendeu trouxe para cá e formou centenas e milhares de pessoas aqui”, frisou.

Destacou que hoje a dança está organizada, com associação e as escolas estão se reunindo para lutar pela dança. “Esse momento é para lembrar do professor Hugo e sua história em prol da dança e para mostrar que esse segmento deve ter mais atenção e respeito. Eu sugeri aqui na Câmara um projeto para a criação da Medalha Hugo Bianchi exclusivamente para a Dança, da mesma forma que propus que aquele trecho em frente ao Theatro José de Alencar receba o nome Bailarino Hugo Bianchi. Estamos pleiteando essa homenagem à dança do Ceará”, concluiu. Ato contínuo foi apresentado um vídeo em homenagem ao bailarino Hugo Bianchi e uma apresentação de dança de Luan Santiago e Letícia Muniz, alunos da Academia Hugo Bianchi.

Em seguida foram feitas as homenagens da noite com a entrega de certificados para as seguintes personalidades: Silêda Maria Franklin de Souza; Emília Gregorina Sales da Silva, Thevdson de Oliveira Félix; Ana Virgínia Valente das Chagas; Amanda Teixeira de Moraes; Mônica Luíza Nogueira Xavier de Lima; Madiana Romcy, representada por Júlia Cândida; Adrielly Gentil Coelho Braga; Júlia Candida Menezes; Juliana Maria Teixeira de Morais; Ana Isadora Fonteles Silveira;; Ballet Hugo Bianchi, representado por Félix Oliveira e Hugo Bianchi (in memoriam), representado por Makeyla Barbosa.

Em nome dos homenageados falou Emília Gregorina Sales da Silva. “Primeiro quero agradecer a Deus por ter chegado aqui. Não foram tempos fáceis, muitos não chegaram. Eu especial para viver esse momento. Gostaria de agradecer em nome de todos homenageados e em nome do Ballet Hugo Bianchi, que até hoje é minha segunda casa. Agradecer essa casa em nome do presidente Antônio Henrique e em especial ao vereador Júlio Brizzi, pois o professor merece essa homenagem. Em julho farei 45 anos, mas desde os 7 anos sou uma filha do professor Hugo. Digo filha porque era assim que ele nos considerava. Como todo pai ele disciplinava, encaminhava, corrigia, movimentava. É verdade tudo que falaram dele sem tirar nem pôr”, pontuou.

“Comecei no Theatro José de Alencar com ele, na década de 80, o carro-chefe era a disciplina, assim como tudo que se faz na vida e assim era aula, aula, aula, sempre nos orientando. Bem, na verdade que não tenho o físico e os passos não tem a mesma atitude, mas tenho alma e amor pelo ballet clássico. Tudo que sou como profissional e como professora coreografa devo ao professor Hugo Bianchi e a Deus, é claro!. Quero no final agradecer a todos por participarem desse momento tão especial e esperado por todos nós”, finalizou.

Perfil

Hugo Alves Mesquita, mais conhecido como Hugo Bianchi, nasceu em Fortaleza, em 29 de abril de 1926 e faleceu em Fortaleza, 18 de janeiro de 2022). Foi um bailarino, professor e coreografo. Começou a carreira de bailarino aos dezessete anos. Aluno assíduo, tornou-se destaque nas grandes apresentações do palco principal do Theatro José de Alencar. Também prestou grandes contribuições ao teatro cearense. Formou-se bailarino pelo Serviço Nacional de Teatro do Rio de Janeiro, aperfeiçoou sua técnica com Eros Volúsia, Dina Nova, Maria Olenewa, Vaslav Veltchek, Tatiana Leskova e David Dupré.

Com técnica e grande interpretação, logo foi estudar balé no Rio de Janeiro, onde morou anos, onde logo passou a ensinar. Foi aclamado pela crítica, e pelos especialistas o melhor bailarino brasileiro de todos os tempos, eternizou-se nas interpretações brilhantes do balé Dom Quixote. Em Fortaleza foi professor de bailarinas como Goreth Quintela e Madiana Romcy.

Em 1966 fundou o Ballet Hugo Bianchi, vinculado à prefeitura e referente ao Ballet Municipal de Fortaleza, é diretor e responsável pela formação de bailarinas como: Mônica Luíza, Madiana Romcy, Goretti Quintela, Elioneide, Socorro Quintela entre outras. Ao lado dele trabalham grandes estrelas, como: Douglas Mota, Emília Gregorina. Seu projeto proporciona bolsas de estudo para que as alunas possam estudar a dança mais facilmente.

Em vida foi condecorado com a Medalha Boticário Ferreira, da Câmara Municipal de Fortaleza e o Troféu Albanisa Sarasate, do Festival Vida e Arte. Também recebeu o troféu Sereia de Ouro em 2006 e o Prêmio SATED∕CE – DIA DO ARTISTA em 2008, na categoria de dança.

Foto: André Lima