Urbanização, obras no Vila União e reforma do Gonzaguinha foram destaques no Grande Expediente

08/06/2022 - Anna Regadas

O grande expediente é um espaço destinado aos vereadores pelo tempo de 10 minutos para o debate de temas relevantes para a cidade.

Grande Expediente - Érika Fonseca

Urbanização de Vias da Grande Paupina

O vereador Gardel Rolim (PDT) ocupou a tribuna para parabenizar os moradores da Grande Paupina, que compreende os Conjuntos Alto Alegre, Alto da Boa Vista e Parque Itamarati, sobre as obras de urbanização da Rua Simão Santos, via principal que corta todo o bairro, que está em fase avançada de conclusão comprovando assim, segundo ele, o compromisso da gestão do Prefeito Sarto.

Gardel ainda destaca que as obras estão levando mais dignidade para os moradores da região. “Eu tenho o prazer e a honra de ter me somado a lutas dos moradores desde que assumi meu mandato em janeiro de 2017”, pontuou. O vereador ainda informou que já está em fase de licitação a construção de uma Escola de Tempo Integral para atender a comunidade.

Obras no bairro Vila União

O vereador Germano He-Man (PMB) registrou algumas obras e intervenções solicitadas por seu mandato que vão beneficiar a comunidade do bairro Vila União. Dentre elas, a Casa Brasil, equipamento que está em reforma e vai retornar como Centro de Qualificação Profissional, com a oferta de diversos cursos profissionalizantes para os moradores do bairro.

Outra obra citada foi a construção da creche da Lagoa do Opaia, que deve ser entregue no mês de julho. Germano informou que também solicitou a reforma da praça localizada em frente à creche e a requalificação do Polo de Lazer. “A gente vem pedindo que a praça seja urbanizada com playground, academia e em breve nós vamos conseguir”, afirmou.

O parlamentar também destacou o projeto de indicação de sua autoria, que cria o Dia Municipal da Cachaça, a fim de valorizar a produção e incentivar o turismo em Fortaleza. “O prefeito tem o projeto de colocar a cidade na rota da cachaça, incentivando o turismo como acontece em outros municípios e por quê não termos o Dia Municipal e um festival da cachaça”, sugeriu Germano.

Reforma no Gonzaguinha de Messejana

O vereador Guilherme Sampaio (PT) repercutiu, durante o grande expediente, a reunião realizada ainda nesta manhã pela Comissão de Saúde com representantes da Secretaria Municipal de Saúde e movimentos sindicais para discutir o projeto de reforma do Gonzaguinha de Messejana e os impactos do fechamento da unidade para os profissionais de saúde e população que reside na região.

Guilherme Sampaio (PT) declarou que a principal discussão é acerca da assistência aos milhares de usuários que são atendidos no Gonzaguinha de Messejana, referência para os partos, cirurgias obstétricas, gerais e atendimentos de emergência para toda a região de Messejana e outros bairros de Fortaleza. Na ocasião ele sugere que o Executivo suspenda a decisão para ouvir a população.

O líder do governo, Gardel rolim, que teve um aparte concedido pelo vereador durante o pronunciamento, afirmou que já estão sendo discutidos os impactos para a sociedade. Ele informou: “Tenho convicção de que a SMS está trabalhando nessas alternativas para que a gente não tenha prejuízo no atendimento da população”, confirmou.

Medicamentos

Pelo tempo da liderança da oposição, o vereador Sargento Reginauro (União Brasil) repercutiu o mesmo assunto trazido ontem sobre a falta de medicamentos nos postos de saúde de Fortaleza. O vereador informou que foi buscar informações sobre a falta do remédio por parte do município.

“Apresentei aqui a falta de três medicamentos nos postos de saúde e a reposta que tive foi que tinha que pedir desculpas, pois a falta dos remédios se devia ao repasse ineficiente do Ministério da Saúde. Fui verificar em loco. Fui até a representação que emite pedidos de medicamentos e não houve nenhuma solicitação do Município para isso. Um dos remédios que citei é um ansiolítico e no documento fornecido verifiquei que a responsabilidade pela aquisição e distribuição desse remédio fica a cargo do ente municipal”, comentou o oposicionista.


Pelo tempo da liderança do executivo, o vereador Gardel Rolim (PDT) parabenizou o líder da oposição por ter ido, pela primeira vez, estudar sobre uma crítica recebida na tribuna relacionada ao tema da saúde.

“Ao estudar, ele mesmo admite, como admitiu aqui, as medicações são de responsabilidade do financiamento do Ministério da Saúde e em uma lista maior esses remédios são repassados. Desde janeiro, estamos com dificuldade de receber os recursos para a compra dos remédios e dos 03 medicamentos citados na tribuna, 02 deles são para utilização no tratamento contra o câncer. Nós precisamos cobrar sim do Ministério da Saúde e eu falei foi de boa fé para que esse repasse aconteça. Nós vamos colocar aqui toda responsabilidade no município? Falaram aqui da reforma do Frotinha da Messejana, mas uma parte do recurso é oriundo do Governo Federal e precisou de dois anos para isso acontecer”, destacou Gardel.

Foto: Érika Fonseca