Mais de 4,77 milhões de doses de vacinas contra Covid já foram aplicadas na Capital

20/01/2022 - Marcelo Raulino

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza o avanço da imunização tem fortalecido a luta contra o coronavírus.

Vacinação COVID-19 no castelão Data:13.07.2021 Foto: Érika Fonseca

O município de Fortaleza aplicou, até esta quarta-feira (19), 4.772.145 doses da vacina anticovid-19, sendo 2.179.356 primeiras doses (D1); 1.962.188 segundas doses (D2) e 639.623 doses de reforço (D3). Desde o dia 15 passado a imunização teve início para o público de 5 a 11 anos, iniciando pela maior faixa etária, mas a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) ainda contabiliza os números de vacinados para apresentar um relatório sobre essa nova fase.

Segundo o IntegraSus, neste mês de janeiro estão cadastradas no Saúde Digital, na faixa etária de 0 a 17 anos, um total de 74.557 pessoas. Na faixa etária de 12 a 17 anos já foram imunizadas 196.713 com a primeira dose e 133.720 com a segunda dose. Conforme a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza o avanço da imunização tem fortalecido a luta contra o coronavírus, contribuindo para reduzir o número de casos mais graves e também de óbitos.

Segundo professor da Universidade Federal do Ceará, Edson Teixeira, a vacinação de crianças está sendo feita no Ceará com a vacina da Pfizer, que é pediátrica e representa um terço da dose da vacina para adultos. Ele observa que essa vacina pediátrica tem um período semelhante à dos adultos para atingir os níveis da eficácia em crianças. A bula, segundo ele, determina que o intervalo entre as doses deve ser de 21 dias, mas o Ministério da Saúde ampliou esse prazo para oito semanas para que mais pessoas tomem a vacina o mais rápido possível. “A eficácia após a segunda dose é em torno de 90%, um nível muito alto”, avalia.

Com relação as pessoas acometidas por covid-19 e influenza e que estavam com agendamento para receber alguma dose, ele observa que é recomendável esperar um tempo regulamentar para buscar a imunização. Com relação as pessoas acometidas por covid-19, elas devem aguardar, pelo menos quatro semanas após o fim dos sintomas para tomar a segunda dose ou a dose de reforço. Já para quem teve algum sintoma gripal que é menos grave, a orientação é esperar a resolução do quadro, que deve ocorrer em uma ou no máximo duas semanas para ser imunizado.

Foto: Érika Fonseca