Gravidez, puerpério, Influenza e Covid-19: saiba como lidar

12/01/2022 - Ana Clara Cabral

Saiba o que fazer em caso de infecção durante a gravidez ou puerpério.

Parte dos grupos de risco para síndrome gripal e Covid-19, as grávidas e puérperas devem completar o esquema vacinal contra o coronavírus para evitar formas graves das doenças, o que pode trazer riscos para a saúde da mãe ou do bebê. Esta foi uma das recomendações dadas pelas especialistas na live Papo SUS, promovida pela Escola de Saúde Pública do Ceará (ESP/CE) na última noite (11).

A médica obstetra, assessora técnica da ESP/CE, presidente do Comitê Estadual de Prevenção ao Óbito Materno, Fetal e Infantil, Liduína Rocha; e a ginecologista, obstetra e ultrassonografista, vice-presidente da Associação Cearense de Ginecologia e Obstetrícia (Socego) e professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), Sammya Bezerra, usaram as redes para divulgar conhecimento e tirar as dúvidas da população sobre o tema.

Veja as principais questões abordadas pelas especialistas:

Gestante com síndrome gripal. Quais são os cuidados?

É muito importante monitorar os sinais de alerta, como desconforto respiratório, dor torácica ou saturação abaixo de 94. Se for o caso, essa gestante precisa estar num local com estrutura de UTI.

Tem risco para o parto?

>A maioria das gestantes já vacinadas que pegaram Covid ou influenza só vão precisar de monitoramento, repouso, hidratação e monitoramento dos sinais de alerta.

>Intervenção cirúrgica, parto prematuro só deve acontecer em casos graves, onde há risco de comprometer a vida do bebê. Se os sintomas forem leves, nada prejudica o parto normal.

>Sem a vacina, a gestante com Covid tem mais chances de abortamento, parto prematuro, hemorragia pós-parto.

Qual o risco de transmissão para o feto?

Gestantes que estão com covid não fazem transmissão vertical, isto é, passar a doença para o bebê que está na barriga. Já a H1N1, existe a possibilidade. Gestantes, puérperas devem usar máscara de qualidade, preferencialmente Pff ou N95. Na possibilidade de amamentação, lavar as mãos antes e usar máscara durante todo o processo. É importante lembrar que não deve-se tirar a máscara para tossir ou espirrar. Espirrou, molhou ou tossiu, a indicação é trocar a máscara.

Qual o risco da síndrome gripal para a gestante?

Todas as síndromes gripais são perigosas para a gestante. Antes da pandemia a recomendação é sempre evitar aglomerações, contato com pessoas infectadas e tomar todas as vacinas necessárias, inclusive Influenza e Covid-19. Segundo as especialistas, não existe nenhum momento da gravidez inadequado para a vacinação.

No caso de uma pessoa que tomou as 3 doses, acreditamos que ela tenha os sintomas mais leves e a recuperação mais rápida.

Síndrome Gripal ou alergia? O que fazer?

As especialistas não indicam o uso de medicamentos para alergia antes de um diagnóstico correto. A primeira orientação é a realização dos devidos testes. E mesmo sem o diagnóstico, na presença dos sintomas gripais os médicos devem receitar o Tamiflu (oseltamivir), medicamento antiviral usado no tratamento de gripe por Influenza A ou B.

Gestantes com filhos em idade escolar, como proceder?

É recomendado dobrar todos os cuidados preventivos, como o uso de máscara, distanciamento, evitar o compartilhamento de objetos e higienização das mãos, além de vacinar as crianças de 5 a 11 anos, assim que as doses forem liberadas no Município.

Foto: Divulgação/Agência Câmara de Notícias