Governo do Ceará reforça cadastro de crianças entre 5 e 11 anos para vacinação contra Covid-19

28/12/2021 - Rochelle Nogueira

Com eficácia de 90,7%, a aplicação do imunizante da Pfizer na população desta faixa etária deve iniciar em janeiro

Vacinação Covid-19 no centro de eventos Data: 08.04.2021 Foto: Érika Fonseca

O cadastro de vacinação contra Covid-19 para crianças entre 5 e 11 anos segue aberto na plataforma Saúde Digital. De acordo com o Governo do Ceará, após autorização da área técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a aplicação do imunizante da Pfizer na população desta faixa etária deve iniciar em janeiro.

Em outubro, a Pfizer informou que a vacina é segura e mais de 90,7% eficaz na prevenção de infecções em crianças de 5 a 11 anos. Vale ressaltar, que a dose para este público é 1/3 da formulação já aprovada no Brasil e também diferente da permitida anteriormente para o público com mais de 12 anos.

No período entre a primeira e segunda dose, caso a criança complete 12 anos, este deve manter a dose pediátrica, pois não há estudos sobre a coadministração com outras vacinas. De acordo com a Anvisa, até que saiam mais estudos é indicado um intervalo de 15 dias entre a vacina da Covid-19 e outros imunizantes do calendário infantil.

A autorização da Agência veio após uma análise técnica criteriosa de dados e estudos clínicos conduzidos pelo laboratório. “Segundo a equipe técnica da Anvisa, as informações avaliadas indicam que a vacina é segura e eficaz para o público infantil. Para essa avaliação, a Agência contou com a consulta e o acompanhamento de um grupo de especialistas em Pediatria e Imunologia que teve acesso aos dados dos estudos e resultados apresentados pelo laboratório. Esse olhar de especialistas externos foi essencial para que o uso da vacina por crianças fosse aprovado dentro dos mais rigorosos critérios, considerando, para isso, o conhecimento de profissionais médicos que atuam no dia a dia com crianças e imunização”, pontua Olívia Bessa, médica pediatra e diretora de Pós-Graduação da Escola de Saúde Pública do Ceará Paulo Marcelo Martins Rodrigues (ESP/CE).

A autorização para o uso da vacina no público infantil já foi concedida pelo FDA e pela EMA (agências regulatórias de saúde dos Estados Unidos e União Europeia, respectivamente), além de países como Costa Rica, Colômbia, República Dominicana, Equador, El Salvador, Honduras, Panamá, Peru e Uruguai.

Nota Técnica de especialistas

As sociedades brasileiras de Imunizações (SBIm), Pediatria (SBP) e Infectologia (SBI) emitiram uma nota técnica em apoio a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos. Com base na análise e discussão sobre o material apresentado pela farmacêutica Pfizer sobre o uso da vacina Covid-19 utilizando plataforma de RNA mensageiro (Comirnaty), a SBIm, a SBP e a SBI manifestaram-se favoráveis à autorização, por entenderem que os benefícios da vacinação na população de crianças de 5 a 11 anos, com a vacina Comirnaty, no contexto atual da pandemia superam os eventuais riscos associados à vacinação.

No texto, o coletivo de médicos lembra que, apesar de a Covid-19 ser menos grave nas crianças que nos adultos, pode causar pneumonia grave, trombose, miocardite e morte. “A carga da doença na população brasileira de crianças é relevante, incluindo até o momento milhares de hospitalizações e centenas de mortes pela COVID-19 no grupo etário em questão, além de outras já demonstradas consequências da infecção em crianças, como a COVID-19 longa e a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica (SIM-P), todas elas de potencial gravidade neste grupo etário. ”, diz trecho da nota.

Confira a Nota Técnica.

Com informações do Governo do Estado do Ceará.

Foto: Érika Fonseca