Vereadores debatem sobre a PEC da Reforma Administrativa e o avanço da vacinação no Ceará

17/11/2021 - Anna Regadas

Fizeram uso da tribuna os vereadores Danilo Lopes, Jorge Pinheiro, Ronivaldo Maia, Júlio Brizzi, Léo Couto, Dr. Vicente, Sargento Reginauro, Adail Júnior e Paulo Martins

Danilo Lopes (Podemos)

Destacou o Indicativo n° 1597/21 de sua autoria, que trata da criação e implementação de uma equipe de Estratégica de Saúde da Família nas Unidades de Atendimento Primário à Saúde (UAPS) em cada Regional, para o atendimento aos moradores em situação de rua. A matéria está na pauta da sessão de hoje e será encaminhada às Comissões Permanentes.

Danilo ressalta a importância da proposta evidenciando a necessidade desse público do acesso à saúde. “A gente sabe que a tendência com a situação econômica do País é piorar e a gente precisa ter compaixão”, pontuou o vereador.

Júlio Brizzi (PDT)

Comemorou e parabenizou o empenho do Governo do Ceará e Prefeitura de Fortaleza por ter atingido um ótimo percentual de vacinação. De acordo com Júlio, os cearenses passaram por um período difícil na pandemia, com muitas perdas, com um esforço contrário do Governo Federal que prejudicou a compra de vacinas, mas no final o Governo do Estado e a Prefeitura mobilizaram suas redes e defenderam a importância do imunizante para a população.

“Chegamos em um percentual de mais de 86% da população do Estado com, pelo menos, uma dose, e mais de 70% com o esquema vacinal completo. Em Fortaleza esse percentual é maior ainda, o que faz com que a gente tenha mais de 20 dias sem nenhum óbito por Covid, e a média diária de óbitos no Ceará tenha caído de 127 em abril para 1.9 em outubro”, afirmou o vereador.

Léo Couto (PSB)

Destacou os investimentos feitos pelo Governo do Estado nas áreas de segurança pública, educação mobilidade urbana e fomento ao turismo. Entre as ações, o parlamentar citou a entrega da 50ª central de videomonitoramento do Estado e a 51ª base do Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio); o lançamento do novo edital do Avance com mais de 3 mil bolsas para estudantes da rede pública que ingressarem no ensino superior; o início das obras do ramal VLT Aeroporto-Parangaba-Mucuripe; R$ 180 milhões de investimento em novos equipamentos na cultura, teleférico em Barbalha; inauguração da Zona de Processamento de Exportação (ZPE) 2 e o projeto Virando o Jogo.

Léo também enalteceu o trabalho que vem sendo realizado pela gestão municipal, elencando algumas ações que estão beneficiando a população fortalezense. São elas: entrega do 16º Centro de Educação Infantil; inauguração das areninhas no bairro Boa Vista e no Conjunto Palmeiras, requalificação da quadra da Escola Professor Francisco Maurício de Matos Dourado.

Dr. Vicente (PT)

Destacou a realizou de audiência pública na próxima sexta-feira, 19, sobre a Proposta de Emenda à Constituição n° 32, conhecida como Reforma Administrativa do Governo Federal. Segundo o parlamentar, o projeto representa um retrocesso ao serviço público promovendo uma “privatização”. “Esse será um momento muito importante de defesa do serviço público. Vamos defender concurso público porque as políticas públicas de saúde, educação, de habitação não podem sofrer essa intervenção de privatização”.

Dr. Vicente requereu ainda um minuto de silêncio durante a sessão plenária em solidariedade ao falecimento da servidora pública Juliana de Andrade Castro.

Jorge Pinheiro (PSDB)

Registrou a missa de esperança realizada ontem no auditório da Câmara, através de uma proposição do seu mandato. “Foi um momento forte onde Deus veio renovar o nosso compromisso de darmos a vida pelo povo fortalezense”, destacou.

Ainda na sua fala, o parlamentar voltou a se manifestar contrário ao que ele denominou de “ideologia de gênero” nas escolas municipais, mencionando também as placas de “gênero” nos banheiros dos Cucas; e o uso de linguagem neutra e “favorecimento” da participação de pessoas trans no Edital das Artes. Jorge pediu esclarecimentos ao líder do governo e ao prefeito Sarto Nogueira (PDT).

Sargento Reginauro (PROS)

Lamentou a morte de dois policiais penais na última semana. O parlamentar destacou que a categoria vem enfrentando problemas psicológicos, relatando um aumento dos afastamentos médicos de profissionais. Sargento Reginauro pediu uma atenção do governador Camilo Santana para a problemática.

O vereador disse ainda que vai solicitar um acompanhamento do Ministério Público, Comissão de Direitos Humanos da OAB/CE e da Assembleia Legislativa sobre a situação dos policiais penais.

Ronivaldo Maia (PT)

Lamentou a morte de dois agentes penais na última semana no Ceará e também a fala do vereador Reginauro (Pros), que o antecedeu na tribuna sobre o tema. Segundo Ronivaldo, o vereador tentou em seu pronunciamento desgastar a imagem do governador Camilo em relação ao incidente que ocorreu com os agentes penitenciários.

“Fica parecendo na sua fala que o governador quer encobrir alguma coisa. Acho lamentável que parlamentares emprestem sua voz para tentar desgastar a imagem do governador”, disse Ronivado, explicando que o incidente ocorreu por conta de um agente que vitimou o outro e depois se suicidou.

Adail Júnior (PDT)

O parlamentar repudiou a utilização das mortes dos policiais penais como bandeira política de crítica ao Governo do Estado. Adail Júnior reforçou que o momento requer respeito as famílias dos servidores e que para a disputa eleitoral é preciso traçar metas e projetos para melhorar as políticas públicas.

Adail Júnior finalizou atentando para a responsabilidade de parlamentares estaduais e federais junto ao Governo Federal na destinação de recursos para a implementação de ações voltadas para a segurança pública.

Paulo Martins (PDT)

Manifestou apoio aos policiais penais do Ceará, que relataram casos de assédio moral e condições de trabalho precárias. O parlamentar ainda prestou solidariedade aos familiares dos profissionais que cometeram suicídio e pediu ao Governo do Estado, uma atenção especial para a situação da categoria.

“Nas últimas semanas vimos pelo menos três suicídios e outra morte causada por um surto de um policial penal. Ontem teve uma manifestação na Assembleia e a gente pede a atenção do governador, que olhe com carinho para esta categoria”, solicitou.

Foto: Érika Fonseca