CMFor e Ministério Público fecham parceria no combate ao tráfico de pessoas

21/07/2021 - Ana Clara Cabral

Através do Projeto Liberdade no Ar, a Câmara Municipal vai veicular uma programação educativa e preventiva de combate ao tráfico de pessoas nos meios de comunicação da Casa

A Câmara Municipal de Fortaleza firmou parceria com o Ministério Público do Trabalho (MPT) aderindo ao Projeto Liberdade no Ar. A iniciativa coloca à disposição os veículos de comunicação da Casa do Povo para a divulgação de uma programação da Campanha Julho Azul de Combate ao Tráfico de Pessoas.

A programação do Projeto aborda casos baseados em fatos reais, em formato de animação que buscam alertar as pessoas sobre as falsas propostas de trabalho: “Desconfie de propostas encantadoras. Busque informações antes de embarcar nessa!”.

A ação foi medida pelo vereador Ronivaldo (PT) em reunião com a promotora Andréa Gondim, procuradora do MPT e gerente do projeto estratégico nacional Liberdade no Ar.

A Campanha faz alusão ao Dia Mundial e Nacional de enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, 30 de julho. O conteúdo será veiculado até o final de julho nos canais de comunicação da Casa: TV Fortaleza (canal 7.2 e 6 da Multiplay), Rádio Fortaleza FM 90,7 e Agência Fortaleza por meio do site da Casa.

O vereador Ronivaldo Maia ressaltou que, conforme o escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), em 2018, quase 25 mil vítimas foram registradas no mundo em 2016. “O relatório revelou que a maioria das vítimas são mulheres e meninas, recorte que chega a 72% dos casos. Os outros 21% são homens e 7% meninos”, disse.

Projeto Liberdade no Ar

O projeto Liberdade no Ar é uma iniciativa do MPT em parceria com a Infraero, campanha Coração Azul, Associação Brasileira de Defesa da Mulher, da Infância e da Juventude (Asbrad), Organização das Nações Unidas (ONU) – Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Organização Internacional para as Migrações (OIM) e Secretaria Nacional de Justiça.

O objetivo, segundo o Ministério Público, é disseminar ações de conscientização e promover a capacitação de profissionais que atuam no transporte de passageiros para o combate ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas. Além de animações, o MPT e a Infraero assinaram acordo de cooperação que prevê a veiculação de conteúdos relacionados ao trabalho escravo e ao tráfico de pessoas nas telas de avisos de voos dos aeroportos administrados pela Infraero.

Tráfico de Pessoas

O tráfico de pessoas pode envolver atletas, com a proposta de uma carreira no exterior que acabam tendo seus documentos retidos, sendo impedido de voltar para casa; exploração sexual, através da falsa promessa de ser modelo ou garçonete; e trabalho escravo doméstico, como a história de muitas trabalhadoras domésticas que viram seus sonhos de morar na capital se transformarem em pesadelos.

Em caso de suspeita de tráfico de pessoas ou de exploração do trabalho, disque 100 ou denuncie pelo aplicativo MPT Pardal ou pelo site mpt.mp.br.