Luta dos profissionais da Enfermagem e a causa autista são destaques no Grande Expediente

09/06/2021 - Rochelle Nogueira

Três vereadores utilizaram a tribuna para repercutir temáticas relevantes aos cidadãos fortalezenses.

Sessão plenária Data: 09.06.2021 Foto: Érika Fonseca

Na realização da sessão ordinária desta quarta-feira (9), os vereadores utilizaram a tribuna pelo Grande Expediente, para abordar temas como: autismo, regulamentação da carga horária e piso salarial da categoria dos profissionais da Enfermagem e o bom diálogo entre a base governista da Casa e os parlamentares da oposição.

A causa autista amparada pelo Iprede

O vereador Bruno Mesquita (PROS) usou seu tempo do Grande Expediente para destacar a visita que fez ao Instituto da Primeira Infância (Iprede). Ele falou da surpresa positiva que teve com a “mega estrutura” para atender autistas no local.

Além dos diversos profissionais especializados para acompanhar as crianças no espectro, ele realçou: “até a questão da robótica, que é um setor caro onde são criados vários mecanismos para a interação e desenvolvimento das crianças autistas. Fiquei pensando na implantação dos 12 núcleos para atendimento das pessoas com autismo do Município e achei no Iprede a referência”, ressaltou.

Bruno Mesquita falou também do requerimento de sua autoria, juntamente com o presidente da Casa, vereador Antônio Henrique, para a realização de sessão solene para parabenizar os 35 anos do Iprede. Na ocasião, os vereadores presentes demonstraram apoio à causa.

Luta pela Enfermagem

A vereadora Ana Paula (PDT) repercutiu sobre um projeto de lei em tramitação no Senado Federal que requer aumento de piso salarial e carga horária de 30h aos profissionais da enfermagem. Segundo informou a parlamentar, ela esteve em Belo Horizonte- MG para uma conversa com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, pressionando para que coloque em pauta o projeto de lei nº 2564/2020, de autoria do senador Fabiano Contarato (Rede).

A vereadora reforçou que a categoria foi regulamentada no ano de 1986 e de lá para cá há uma luta tanto dos profissionais como de políticos para que os direitos dos profissionais sejam garantidos. “Mais de duas décadas de luta para que esse projeto possa tramitar no Senado Federal. Já conseguimos 76 assinaturas favoráveis ao projeto de Lei e se não houver sinalização para colocação em pauta, existe a possibilidade de paralisação da categoria no dia 30 de junho. Estamos atuando há mais de um ano na linha de frente e agora estamos participando também da vacinação e a gente precisa trazer o reconhecimento para esses profissionais”, declarou a vereadora.

Diálogo construtivo entre a base governista e a oposição

Pelo tempo da oposição, o vereador Márcio Martins (PROS) teceu elogios à base governista, na pessoa do vereador Gardel Rolim (PDT), que vem dialogando com os parlamentares da oposição. “Geralmente usava o tempo para cobrar. Hoje venho fazer um elogio, pois o Governo tem aberto diálogo com a oposição desta Casa. Aquele gestor que escuta a oposição ele com toda certeza vai ter o bônus disso. Saímos da zona de conforto para dizer o que muitas vezes a base não diz. Quero parabenizar o líder Gardel Rolim por essa sensibilidade e esse trato”, evidenciou.

O vereador também reforçou o empenho da gestão para uma alteração que favoreça a categoria que trabalha com aplicativos de transporte e os usuários. “Vamos trazer para esta Casa alterações na lei que rege os motoristas de aplicativos de transporte individual. Já está sendo feito o diálogo com a categoria. O combustível aumentou seis vezes e a tarifa paga ao motorista continua a mesma. Parabéns pela sensibilidade do Governo”, asseverou.

Com informações da jornalista Ana Clara Cabral.

Foto: Érika Fonseca