Grupo com comorbidades deve apresentar atestado para receber vacina contra Covid-19

03/05/2021 - Cleonardo Dias

Para obter o atestado, basta procurar uma unidade de saúde ou seu médico

Movimentação de pessoas nas ruas durante pandemia corona vírus

Com a proximidade da 3ª fase da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Covid-19, que imunizara pessoas com comorbidades (doenças crônicas) e com deficiência permanente grave, a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informa que será exigido atestado, prescrição ou relatório médico especificando a indicação da vacina pelo médico.

Para as pessoas que dependem do SUS, é preciso procurar a Unidade Básica de Saúde mais próxima. Para os usuários da rede privada de saúde, basta procurar o médico responsável. A Sesa informa que foi enviado uma lista dos pacientes acompanhados nos ambulatórios do Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão e Hospital Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM) para as Superintendências Regionais de Saúde para facilitar a validação com os municípios.

>> Pessoas com comorbidade devem atualizar cadastro para receber vacina contra Covid

Segundo Magda Almeida, secretária executiva de Vigilância e Regulação da Sesa, os pacientes com nome enviado para as unidades estaduais também devem checar o cadastro no Saúde Digital e apresentar a indicação do médico no ato da vacinação. “A listagem deve servir para os municípios planejarem e organizarem os processos de vacinação da sua população”, orienta.

No site de cadastro da vacinação contra a Covid-19, (vacinacaocovid.saude.ce.gov.br), é possível o cidadão fazer o download dos dois modelos padrões de atestado para facilitar o preenchimento que será realizado pelo profissional de saúde.

Confira os modelos de atestados

Confira a lista de comorbidades incluídas na 3ª fase de vacinação

Fases dos grupos prioritários, segundo o Plano Nacional de Vacinação:

  • 1ª fase
  • Pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas (lares e abrigos)
  • Pessoas com deficiência institucionalizadas;
  • População Indígena;
  • Trabalhador da Saúde;
  • Pessoas com 75 anos ou mais.
  • 2ª fase
  • Povos e comunidades tradicionais quilombola
  • Pessoas com de 60 a 74 anos.
  • 3ª fase
  • Pessoas com comorbidades;
  • Pessoas com deficiências permanente grave.

Informações: Secretaria de Saúde do Estado

Foto: Érika Fonseca