Covid-19: boletim epidemiológico aponta uma redução na média móvel de casos

13/10/2020 - Cleonardo Dias

Até a publicação deste boletim, 880.464 exames de diagnóstico da doença já foram realizados

Movimentação de pessoas nas ruas de Fortaleza

Em mais uma publicação do Boletim Epidemiológico da Covid-19 divulgado pela plataforma IntegraSUS, nesta terça-feira, 13, às 9h29min, o Ceará registra uma queda na média móvel de casos confirmados com 27.6. Já são 260.642 casos confirmados da doença com 224.732 pessoas recuperadas.

Os números do IntegraSUS ainda apresentam notificação de 798.783 casos com 55.869 casos em investigação. O total de óbitos acumulados desde o início da pandemia já somam 9.140. Atualmente o cálculo da letalidade da doença é de 3,5 e nas últimas 24h foi registrado apenas uma morte em decorrência do novo coronavírus no Ceará.

O levantamento da plataforma também revela o panorama da pandemia em Fortaleza com 52.196 casos confirmados da doença, 33.505 pessoas recuperadas e 21.504 casos ainda em investigação. A atual taxa de letalidade da doença na Capital é de 7,4, com 3.880 óbitos.

Já na Região Metropolitana de Fortaleza, os dados apontam as quatro cidades com maiores casos de incidência da doença. Acarape segue com (12.753,7) casos, seguidos de São Gonçalo do Amarante com (5249.7), Maranguape com (3835.5) e Eusébio com (3672.3). A taxa de incidência é o número de novos casos de uma doença, dividido pelo número de pessoas em risco.

No restante dos municípios cearenses, Frecheirinha segue com taxa de incidência de (10787.4), seguidos de Crateús com (7637.8), Groaíras com (7164.8) e Quixelô com (6737.5).

A atual taxa de ocupação de leitos de UTIs em todo o Estado é de 67.11% e a taxa de ocupação das enfermarias é de 30.1%. Em Fortaleza essas taxas são de 54.43% de ocupação de leitos de UTIs e 50.68% de enfermarias ocupadas. Já nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), nove pessoas seguem internadas.

Outro fato que chama atenção nos números apresentados pela plataforma são os casos confirmados, segundo sexo e faixa etária. De acordo com os dados, a faixa etária com maior registro de casos é entre 30 e 34 anos, onde as mulheres são as mais afetadas pela doença com 15.846 casos. Já os homens figuram com 12.436 casos.

Foto: Érika Fonseca