Quatro projetos da UFC para enfrentamento da covid-19 são selecionados em chamada pública e receberão aporte financeiro

03/09/2020 - Marcelo Raulino

A chamada pública foi lançada em abril deste ano e destinou, inicialmente, R$ 45 milhões a 90 projetos selecionados

UFC

Três projetos da Faculdade de Medicina (FAMED) e um do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal do Ceará (UFC) estão entre os contemplados na chamada pública de pesquisas para enfrentamento da covid-19, suas consequências e outras síndromes respiratórias agudas graves, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e Ministério da Saúde. Eles foram contemplados com recursos para o desenvolvimento dos estudos.

A chamada pública foi lançada em abril deste ano e destinou, inicialmente, R$ 45 milhões a 90 projetos selecionados. Em agosto, a CNPq e o MCTI anunciaram um aporte de R$ 20 milhões adicionais para suplementação da chamada, o que permitiu o apoio financeiro a mais 26 pesquisas. A chamada pública recebeu 2.219 propostas de todo o País sobre temas relacionados a tratamentos, vacinas, diagnóstico, patogênese e história natural da doença, carga da doença, atenção à saúde, prevenção e controle da covid-19 e outras síndromes respiratórias agudas graves.

Projetos

Pelo Departamento de Enfermagem foi selecionado na chamada pública o projeto “Efetividade do acesso, atendimento clínico e acompanhamento das pessoas com covid-19 e outras síndromes respiratórias agudas”, que é coordenado pela Profª Elisângela Teixeira, do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem. O projeto acompanhará pacientes com sintomas gripais no Ceará, Maranhão e Pernambuco, que tenham sido notificados pela Vigilância Epidemiológica nos Sistemas de Informação a partir do preenchimento de fichas disponibilizadas pela Secretaria de Saúde de cada estado.

O estudo será desenvolvido em duas etapas. Na primeira, será construído um software para monitoramento dos pacientes com diagnóstico da covid-19 e outras doenças de síndromes respiratórias agudas graves. Na segunda etapa, os pesquisadores acompanharão, mensalmente, via contato telefônico, 600 pacientes de cada Estado. O monitoramento ocorrerá durante 12 meses. Essa pesquisa conta com a participação do Grupo de Estudos sobre Cuidados em Enfermagem, de alunos da graduação e pós-graduação em Enfermagem da UFC e de pesquisadores das universidades federais do Maranhão (UFMA) e de Pernambuco (UFPE), da Universidade de Pernambuco (UPE) e da Universidade Estadual do Ceará (UECE).

FAMED

Os projetos selecionados da Faculdade de Medicina (FAMED) da UFC são os seguintes: “Avaliação dos riscos de profissionais de saúde que cuidam de pessoas com covid-19”, coordenada pela Profª Ligia Kerr, do Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública. O estudo analisará os riscos de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem durante o período mais grave da pandemia de covid-19 no País, com ênfase no uso de equipamentos de proteção individual (EPI) e na saúde mental desses profissionais. Esse estudo está sendo desenvolvido em cinco capitais brasileiras: Belém, Fortaleza, Recife, São Paulo e Porto Alegre.

De acordo com a coordenadora do projeto, participarão da pesquisa, em cada cidade, 350 profissionais de cada categoria, incluindo trabalhadores das redes de saúde pública e privada. Além da UFC, participam do estudo o Instituto Evandro Chagas; a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ); a Universidade de Fortaleza (UNIFOR); a Universidade de Pernambuco (UPE); a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); a Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e o Hospital Moinhos de Vento (Porto Alegre). O projeto tem duração de dois anos.

Outro projeto é que trara das “Complicações neuropsiquiátricas decorrentes da exposição pré-natal ao vírus SARS-COV2: atenção ao binômio mãe-bebê”, coordenado pela Profª Danielle Macêdo, do Laboratório de Neuropsicofarmacologia do Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento de Medicamentos (NPDM). O objetivo é acompanhar, até a idade adulta (60 dias de vida), a prole dos camundongos expostos ao novo coronavírus durante a gravidez, que pretende avaliar possíveis alterações comportamentais que se assemelham a transtornos neurodesenvolvimentais, como autismo e esquizofrenia.

O projeto pretende buscar estratégias de prevenção durante a gravidez dos camundongos, caso as alterações comportamentais sejam confirmadas. Terá duração de dois anos e, conta com participação também de pesquisadores da Universidade de Liverpool; da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP); do Instituto Aggeu Magalhães; da Universidade Federal de Minas Gerais; da FIOCRUZ Ceará e da Maternidade-Escola Assis Chateaubriand (MEAC-UFC).

Plasma

O terceiro projeto é o “Análise do estado de hipercoagulabilidade e suas associações com agressividade clínica de covid-19”, coordenada pelo Prof. Ronald Pinheiro, do Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas. A ideia é analisar plasmas de pacientes com covid-19 para verificar quais deles são mais propensos à trombose. “Um dos sérios efeitos da doença é predispor à trombose”, afirma.

O professor Ronald Pinheiro comenta que serão analisados os plasmas de pacientes idosos com covid-19 para verificar quais são propensos à trombose. “Coletamos o plasma de cerca de 300 idosos com covid-19 atendidos pela rede hospitalar do SUS no Ceará. Através desse material, será feita uma pesquisa nos genes que podem ativar a trombose, como o TLR4, TLR3 e TLR9. Entendemos que com base nos testes laboratoriais e no histórico dos pacientes, os pesquisadores poderão “prever” quais podem ter complicações como a trombose.

Foto: Érika Fonseca