Órgãos de fiscalização irão garantir cumprimento das medidas de isolamento na reabertura da economia

01/06/2020 - Cleonardo Dias

No primeiro dia de fiscalização depois da reabertura de parte do comércio, a Praça a Lagoinha amanheceu lotada

Movimentação no centro de Fortaleza durante isolamento social

Mesmo durante a fase de transição, que integra o plano de flexibilização de algumas atividades econômicas no Estado, as forças de segurança seguem com as ações de fiscalização e orientação à população em território cearense para garantir o cumprimento das medidas de isolamento em decorrência da pandemia da Covid-19.

No primeiro dia de fiscalização depois da reabertura de parte do comércio, o superintendente da Agefis, Júlio Santos, destacou a nova estratégia do órgão na fase de transição da economia. “Intensificamos a fiscalização já existente como: encerramento de feiras, ordenamento de filas em bancos, lotéricas e comércio ambulante em geral. Vamos fiscalizar as novas atividades liberadas e se estão cumprindo os requisitos que o decreto informa. Iremos ainda reforçar a conscientização da população e dos empresários para o sucesso do retorno da economia”, disse.

A ação da Agefis foi vista hoje pela manhã, na Praça da Lagoinha. O órgão realizou a dispersão de aglomeração (abordagem orientativa) com distribuição de máscaras de tecido e álcool em gel 70%. Pouco tempo depois, a população voltou a ocupar o local e provocar aglomeração.

A Agência de Fiscalização de Fortaleza divulgou o último balanço de sua ações entre 8 e 31 de maio. Já foram realizadas 1.147 ações de monitoramento e dispersão de aglomerações e 63 operações para o encerramento diário das feiras irregulares. Também foram abordadas cerca de 2.500 pessoas por dia no entorno de agências bancárias e lotéricas. Na ocasião, foram feitas a distribuição de máscaras.

Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social

O secretário da SSPDS, André Costa, destacou na manhã desta segunda-feira, 1º de junho, que as ações rígidas adotadas em Fortaleza e que impactaram na melhoria dos índices de contaminação pelo novo coronavírus foram expandidas para a Região Metropolitana de Fortaleza e para o Interior.  Na Capital, quatro barreiras fixas permanecerão nas entradas e saídas de Fortaleza, bem como a realização de blitz móveis em quadrantes onde são registrados os maiores números de ocorrências.

“Continuaremos com diversas barreiras, mas agora passaremos a atuar, além de Fortaleza, em mais sete cidades da Região Metropolitana e do Interior, que adotaram o isolamento social rígido. Ao todo, serão 23 barreiras nas entradas e saídas desses municípios. Nessas cidades, as ações ocorrerão da mesma maneira como vínhamos fazendo na Capital. Ou seja, com a fiscalização de comércios e outros serviços, a verificação de locais com aglomeração ou aquelas pessoas que não estejam utilizando máscaras ao saírem nas ruas; além de outras situações previstas no decreto governamental como dever da população”, explica André Costa.

O titular da pasta da segurança pública ainda ressalta o trabalho de orientação do órgão e enfatiza a importância da população para conscientização do cumprimento do isolamento social. “Continuaremos trabalhando para conter o avanço do novo coronavírus, dando um fôlego para o sistema público e privado de saúde e conseguindo salvar vidas”, finalizou.

O decreto governamental publicado no último dia 30 de maio ainda reforça que o trânsito de pessoas só é permitido em casos de serviços essenciais, motivos de saúde, para a compra de materiais essenciais à subsistência, além de outras exceções publicadas no Decreto Estadual N° 33.608.

Balanço da SSPDS

Do dia 7 de maio até as 8 horas desta segunda-feira, 1º de junho, os órgãos de segurança, trânsito e fiscalização estaduais e municipais atenderam 3.521 ocorrências em Fortaleza. Foram 2.391 chamados atendidos por aglomeração de pessoas, 941 referentes a comércios abertos e 189 ocorrências atendidas por descumprimento de proteção individual. Também durante esse período, 378.349 veículos foram abordados nas barreiras fixas montadas nas entradas e saídas de Fortaleza, além das blitze móveis que atuam em 104 quadrantes da Capital.

Caso o cidadão insista em descumprir o decreto estadual, o procedimento é encaminhado para uma delegacia da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE).

Denúncias

  • Agefis: a população pode acionar a fiscalização por meio do aplicativo Fiscalize Fortaleza (disponível para Android e IOS), através do site denuncia.agefis.fortaleza.ce.gov.br ou ligando para o telefone 156.
  • SSPDS: através do telefone 190

Informações: Agefis e SSPDS