Vereadores defendem adiamento do Enem 2020

20/05/2020 - Cleonardo Dias

O debate sobre a realização do Enem 2020 vem promovendo um cenário de dúvidas entres os estudantes de todo o Brasil. A questão para os vereadores de Fortaleza envolve a aplicação das provas de forma justa e igualitária para todos os inscritos e, com isso, a importância da aprovação do adiamento das provas pelo Senado […]

O debate sobre a realização do Enem 2020 vem promovendo um cenário de dúvidas entres os estudantes de todo o Brasil. A questão para os vereadores de Fortaleza envolve a aplicação das provas de forma justa e igualitária para todos os inscritos e, com isso, a importância da aprovação do adiamento das provas pelo Senado Federal.

24.09.2019

Para o presidente da Comissão de Educação da Câmara, vereador Evaldo Lima (PCdoB), o momento vivido pelo País ultrapassa as questões partidárias. “O que está em jogo é algo muito além de questões partidárias, é o respeito pela vida e pela dignidade humana. É o combate às desigualdades, pensando exatamente nos milhões de estudantes de escola pública em todo o Brasil que hoje seriam prejudicados com a manutenção do Exame Nacional do Ensino Médio. Adiar o Enem deveria ser uma decisão óbvia para todos nós, um gesto mínimo de compromisso social. Isso não é nítido apenas para os que hoje estão à frente do governo federal, empenhados em promover a exclusão e o desmonte do ensino público”, disse.

04.09.2019

O vereador Guilherme Sampaio (PT) achou acertada a decisão do Senado Federal em adiar o Enem 2020. “A decisão do Senado foi categórica por expressar um recado claro ao presidente da República e para o ministro da Educação. O Congresso Nacional não vai aceitar que se ande para trás com as conquistas alcançadas. A decisão faz justiça a reivindicação dos estudantes que não tem acesso a internet, principalmente das camadas mais pobres que iriam ver suas chances reduzidas. É uma vitória da educação e dos estudantes do Brasil”, pontuou.

O vereador Professor Elói (Patriota) parabenizou o Senado pela aprovação do adiamento do Enem. “Foi uma das medidas mais acertadas para o momento dessa pandemia, pois a população pobre do país estaria prejudicada devido a falta de acesso à internet, além da paralisação das aulas. O adiamento equipara não 100%, mas é uma equiparação para que as pessoas mais humildes possam ter acesso as universidades”, ressaltou.

Aprovação no Senado

O Senado Federal aprovou nesta última terça-feira (19), a suspensão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em razão do estado de calamidade pública, provocado pela pandemia de Covid-19. Através de sessão virtual o Senado aprovou a proposta com 75 votos favoráveis e 1 contrário. Agora a matéria segue agora para análise da Câmara dos Deputados.  

A matéria, apresentada pela senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), o PL 1.277/20, prevê que, em casos de reconhecimento de estado de calamidade pelo Congresso Nacional ou de comprometimento do regular funcionamento das instituições de ensino do país, seja prorrogada automaticamente a aplicação das provas, exames e demais atividades de seleção para acesso ao ensino superior.

Segundo a parlamentar, o adiamento do Enem 2020 impedirá a concorrência desleal entre candidatos que não têm as mesmas oportunidades de acesso à internet, especialmente entre estudantes das redes pública e privada de ensino. “O que nós estamos fazendo não prejudica os outros estudantes. Isso é apenas para não reforçar a desigualdade que já existe”, pontuou.

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, marcou a aplicação do exame impresso para os dias 1º e 8 de novembro, e a versão digital para 22 e 29 de novembro. As inscrições estão abertas até o próximo dia 22. Ainda de acordo com o Instituto, já foram realizadas cerca 4 milhões de inscrições.  O ministro da Educação, Abraham Weintraub, defende a realização da prova na data prevista.

Informações: Agência Senado

Foto: Reprodução/CMFor