A Câmara Municipal de Fortaleza recebeu, nessa quarta-feira, 15, durante a sessão ordinária, a visita do presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE), desembargador Haroldo Correia de Oliveira Máximo, que falou sobre o processo de cadastramento biométrico obrigatório dos eleitores de Fortaleza para as eleições de 2020 na capital cearense.

O Requerimento n° 1754/2019, que trouxe o TRE-CE à Câmara Municipal, é de autoria do vereador Benigno Júnior (PSD), visando engajamento dos vereadores e população no processo essencial à democracia. “É importante fazer uma força-tarefa para que toda a população consiga aderir. Nós, vereadores, temos acesso aos bairros, moradores, lideranças comunitárias e podemos ajudar o Tribunal Eleitoral a engajar os eleitores”, ressaltou.

O presidente da Câmara Municipal, Antônio Henrique (PDT), demonstrou seu apoio: “o nosso trabalho é fazer com que essa informação chegue a todos os cidadãos e facilitar o acesso aos postos de atendimento, garantindo não somente a participação democrática de cada um, mas contribuindo para a melhor segurança deste ato”.

O desembargador Haroldo Correia, presidente do TRE-CE, agradeceu a iniciativa e preocupação dos parlamentares. “Já é mais que provada a segurança das urnas eletrônicas nas eleições. Precisamos, agora, continuar investindo na segurança da identificação pessoal que antecede o voto”, enfatizou.

Lorena Belo, coordenadora da administração do cadastro eleitoral do TRE-CE, explicou que o prazo para regularização encerra dia 29 de novembro, faltando apenas 138 dias úteis para que os fortalezenses realizem o cadastramento biométrico. Atualmente são 850 mil eleitores da capital sem biometria. De acordo com Lorena, a meta diária de atendimento é de 3.720 pessoas para atingir 80% da demanda. A campanha de cadastro biométrico obrigatório foi lançada em fevereiro, desde então o engajamento das pessoas subiu apenas 2%.

“Estamos distantes do ideal, mas isso se deve por falta de comparecimento da população”, pontua a coordenadora. Ela esclarece que, após o fim prazo, quem não tiver feito o cadastramento biométrico, terá o título cancelado. Isso faz com que o cidadão não possa votar nas próximas eleições. Além disso, outras atividades dependentes do título eleitoral são comprometidas, como receber salário ou benefícios sociais de entidades públicas, inscrição em concurso público, e requerer ou renovar passaporte.

Para fazer o cadastramento é importante que o cidadão agende através do site ou ligando para o número 148. Na ocasião, precisa levar um documento de identidade oficial com foto, comprovante de endereço atual, o último título de eleitor e o número do CPF. Os locais de atendimento podem ser consultados também através do site do TRE.

Clique aqui e agende o seu atendimento no TRE/CE.