Sessão solene realizada nesta sexta-feira (29) comemorou os 30 anos da Banda Cearense Obskure. A solenidade foi proposta pela vereadora Larissa Gaspar (PT), através do requerimento 3513/2019, aprovado por unanimidade pelo plenário da Casa Legislativa. A sessão foi presidida pela própria autora da homenagem, no ato representando o presidente da CMFor, vereador Antônio Henrique (PDT). A Mesa de Honra teve como componentes: Águeda Medeiros, doutora em Antropologia; e os músicos integrantes da banda, Amaudson Ximenes; Jolson Ximenes; Germano Monteiro; Daniel Boyadjian e Mardônio Malheiros.

A vereadora Larissa Gaspar, em sua saudação aos presentes, destacou sua alegria em realizar a homenagem a Banda que considera parceira. “É uma banda que surgiu em 1989, quando o cenário da música brasileira passava por muitas transformações. A banda trabalha questões sociais e políticas. Seus CDs são repercutidos internacionalmente e agente fica muito feliz por todo esse sucesso. Tem sido parceira em diversos projetos, como o que coloca no calendário oficial de Fortaleza esse festival de rock, para que esse estilo de música seja valorizado. Nesse contato com a banda, apresentamos outras matérias legislativas, entre elas, a mostra Petrucio Maia e a lei que criou o Dia Municipal do Rock, no dia 13 de junho.

“Aqui nessa Casa homenageamos a Associação Cearense de Rock, e hoje estamos aqui homenageando a resistência dessa banda que vem defendendo com dignidade sua arte. Que mais sucesso venha, e que tenham reconhecimento, pois vocês fazem a diferença na cena do rock do País”, concluiu.

Foi apresentado, em seguida, um vídeo em homenagem à banda e ato contínuo entregue um certificado em comemoração aos 30 anos da Banda Obskure aos seus atuais componentes.

Falou em seguida a professora Águeda Matos, que disse ser fã da banda e amigo de seus integrantes. “Nessa noite devemos mencionar a trajetória dos atuais componentes e de todos os outros que passaram, mas fazem parte dessa história, que teve a colaboração forte da família e dos amigos espalhados no Brasil e fora do Brasil. Num cenário que está sendo tomado pelo atraso, creio que através da música podemos mudar sim. Não vamos nos curvar às estruturas velhas e enrijecidas que querem dominar o campo político desse país. Lembrei que algum tempo atrás em fiz um texto do CD Overcasting, que eu adoro, que é o cancioneiro musical filosófico da Banda Obskure”, pontuou.

Em seguida a palavra foi facultada aos membros da Banda. O primeiro a falar foi Jolson Ximenes: “jamais imaginei que estaria no plenário da Câmara sendo homenageado. Estou emocionado e muito feliz. Passa agora um filme gigantesco na minha cabeça. Nossa trajetória foi longa, mas honesta, sempre buscando nosso limite, seja musical, seja lírico. Nesses 30 anos muitas pessoas estiveram conosco e temos muita energia para continuar. Vamos continuar fazendo música, batalhando pela cena do Ceará. Independente de qualquer coisa, nuca deixamos de levar a música do Ceará, onde quer que ela possa chegar. A Obskure nunca faltou com respeito aos pais, aos grupos. Começamos nos comunicando por carta e hoje com apenas um clique no Whatssapp. Quero fazer um agradecimento verdadeiro de amor e respeito aos meus pais que estão aqui. Durante 10 a 12 anos aguentaram uma banda ensaiando dentro de casa”, enfatizou.

Disse estar muito feliz de ter esse reconhecimento, pois fazemos música, por amor, vocação e dedicação. Agradecemos a todos que fizeram parte da banda, Marcos Mano, que faleceu D’Ângelo, Fábio Barros, Juliana Costa, Cristina Cuturno, Lucas Gurgel, Jorge Albuquerque, Nertan, Rafael, Bruno Gabai, que mesmo não efetivo sempre esteve presente. Esse prêmio vai além dos cinco que estão aqui, é de uma trajetória de uma turma de amigos. Podemos entender que a música tem uma ponte bem maior que só o mercado fotográfico, ela ultrapassa fronteiras,” avaliou.

Daniel Boyadjian agradeceu aos familiares, aos pais de Amaudson e Jolson, seu Mendonça e dona Antonieta, por todo apoio, “Quero agradecer a importância de vocês na banda. Mesmo não filho me sinto como se fosse”. Já Amaudson Ximenes disse que o disco ‘Overcasting’ vai ser relançado no ano que vem, com nova versão. Fez seus agradecimentos a vereadora a Larissa e a Câmara Municipal pela homenagem e disse que a Banda vai continuar cutucando e incomodando bastante.

Germano Monteiro disse que a Obskure é uma grande família, que expressa o coletivo e agrega muito no cenário musical do país. “Estamos participando de coletâneas internacionais e esse reconhecimento é muito gratificante”. Por fim, Mardônio Malheiros agradeceu aos companheiros por resistirem e hoje comemorarem os 30 anos de banda. “Isso é fruto de persistência, não é fácil no Brasil manter uma banda por tanto tempo”, avaliou.

Banda Obskure

Banda, formada, inicialmente, pelos irmãos Amaudson e Jolson Ximenes, em maio de 1989, destaca-se por ter contribuído expressivamente para a renovação do rock brasileiro. O Grupo foi um dos pioneiros na fusão dos estilos heavy metal melódico de vocais líricos e guturais, transitando pelo clássico, como também pelo chamado hardcore. A Banda cearense tem um extenso currículo de produções autorais, apresentações em diversas capitais nacionais e em importantes circuitos culturais.

Ao longo de 30 anos de estrada, o grupo passou pelas fitas-demo Uterus And Grave (1990), Oppressions In Obscurity (1992) e The Singing of Hungry (1994). Pelos CDs de Estúdio Overcasting (1998) e Dense Shades of Mankind (2012), além de lançar vários EPs autorais e participar de diversos discos coletivos de selos independentes do Brasil e do exterior.

A banda mostra sua tendência inovadora ao ser uma das pioneiras do estilo a utilizar teclados em estúdio e ao vivo, propiciando um clima soturno e atmosférico em seus shows e lançamentos.

O primeiro CD, Overcasting, foi lançado em 1998 pela Moon Shadow Rec, com distribuição nacional e internacional. O álbum foi citado entre os melhores do ano de 1999 na revista Rock Brigade e como um fato marcante na história do metal brasileiro, pela revista Metal Head.

Em 2001, foi lançado o promo-CD The Emptiness Spectable (2001) conta com a participação de Alex Camargo (Krisiun) nos vocais e a banda é convidada para tocar ao lado do Krisiun no show de fechamento da sua turnê mundial do álbum “Conquerors Of Armageddon” em São Paulo.

Em 2005 veio o promo-CD From One Who Stopped Dreaming.

Em 2008, a banda foi finalista nacional para representar o Brasil no Wacken Open Air. Logo após foi lançado o primeiro videoclipe da banda, para a música inédita Christian Sovereign, de seu 2º álbum, Dense Shades Of Mankind. O álbum marca a fase mais madura e intensa da banda, atingindo níveis mais extremos de peso, velocidade e melodia, características que marcam sonoridade da banda, tendo forte aceitação pela crítica especializada.

As demos Uterus And Grave e Opressions In Obscurity foram relançadas em formato vinil 7″, em parceria com o selo TLB records da Alemanha, com distribuição na Europa e América do Sul, sendo a primeira em formato split com a banda No Sense de São Paulo. Em 2015, participaram de dois tributos de conceituadas bandas do cenário underground mundial, a soteropolitana Headhunter D.C. e a portuguesa Moonspell. O primeiro é capitaneado pelo selo paulistano Mutilation Records e o segundo foi lançado por Heavy and Loud Press/The Burn Productions em formato virtual, encontrando-se na rede mundial de computadores.

Também lançaram o DVD “Obskure 25 anos”, gravado no Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, no evento “Dragão do Metal”. No final de 2017 foi lançado nas plataformas virtuais o EP “Sacrifice of the Wicked”, contendo músicas que mostram uma sonoridade mais direta e atual da banda, além de ser uma prévia do novo álbum que já está pré-produção. Em 2017 e 2018 o grupo participou de uma trilogia de tributos em CD organizada pela gravadora inglesa Secret Service e que prestam homenagem aos mestres do Motörhead, Black Sabbath e AC/DC. Os três lançamentos são europeus em formato digipack duplo, com as primeiras tiragens lançadas rapidamente esgotadas.

Em junho/2018 foi lançada a coletânea “Metal contra o fascismo” organizada pelo Movimento de Resistência Underground e Red and Anarchrist Black Metal. O Obskure conta atualmente com Germano Monteiro (Vocal), Amaudson Ximenes (Guitarra), Daniel Boyadjian (Guitarra), Jolson Ximenes (Baixo) e Mardonio Malheiros (Bateria).