Ao fazer uso do Grande Expediente, na sessão ordinária desta terça-feira, 11, a vereadora Priscila Costa (PRTB) questionou a abordagem da imprensa diante do vazamento das conversas entre o juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, publicadas pelo The Intercept em uma série de reportagens. De acordo com a parlamentar, houve um ataque à segurança nacional, com a intenção de derrubar Moro e sabotar o governo.

“Venho aqui para colocar o meu sentimento e avaliação enquanto brasileira e representante do povo sobre o último episódio envolvendo o juiz Sérgio Moro. O que tem me incomodado bastante é a forma como a imprensa tem abordado os fatos. Se trata de um veículo estrangeiro, o The Intercept, que chega à população brasileira para dizer que recebeu as mensagens enviadas por hackers, ou seja, de criminosos. Veículo esse que tem como fundador Glenn Greenwald, esposo do deputado federal David Miranda, que assumiu o mandato quando Jean Wyllys se afastou”, relatou.

A parlamentar questionou a parcialidade de Glenn Greenwald no caso, citando uma postagem realizada pelo jornalista em rede social. “Veja o que Gleen postou no dia 30/07/2018: jornalistas ainda não tem uma estratégia eficaz para bater Bolsonaro. É preciso desenvolver uma rapidamente”, afirmou.

Priscila ainda ponderou sobre a relação do jornalista com os hackers que lhe forneceram as informações. “A imprensa não está preocupada em ver como esse veículo se relaciona com hackers. Se trata de criminosos, pois o que aconteceu foi um ataque a nossa segurança nacional e ao Brasil”, criticou.

A vereadora finalizou seu pronunciamento destacando que o vazamento das conversas é uma tentativa de sabotar o governo Bolsonaro. “Finalizo aqui com a fala do Guzzo, quando afirma que a clonagem do telefone do ministro Sérgio Moro é apenas um episódio a mais na única disputa de verdade que existe hoje no Brasil: a guerra para derrubar Moro, liquidar a Lava Jato, soltar Lula, sabotar o governo e devolver o país aos ladrões”,
corroborou.