O vereador Iraguassu Filho (PDT) utilizou seu tempo no Grande Expediente desta quinta-feira, 9, para abordar sobre fake news em época de eleições. De acordo com o parlamentar, é preciso que todas as pessoas, independente de ser candidato ou não, evitem espalhar as notícias falsas que circulam nas redes sociais.

Iraguassu comentou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem trabalhado bastante nos últimos anos para combater as fake news que tem comprometido a imagem de muitas pessoas, que ocupam cargos políticos ou não. Ele afirmou que quando uma notícia falsa em relação a um candidato ou parlamentar ganha conhecimento da população, macula a imagem de pessoas com histórias que não condizem com a verdade.

“Ontem vi uma matéria que colocava o governador de Maranhão como inelegível e isso não foi verdade, não houve essa decisão. Isso atrapalha e compromete o desenvolvimento das ações dele. Aqui na CMFor alguns vereadores já passaram por momentos com notícias falsas, inclusive de que a CMFor tinha pago passagem e hospedagem de duas ou três pessoas com recurso público e isso é mentira. Foi uma ação deliberada pra manchar a imagem dessa Casa, dos vereadores e da Mesa Diretora”, destacou.

O parlamentar destacou que o Facebook vem trabalhando para combater grupos e sites que disseminam notícias falsas, retirando do ar quase 200 páginas e 90 contas do ar. “Essa ação é parte de série de esforços da empresa para reprimir perfis enganosos antes de outubro. As páginas desativadas, algumas com meio milhão de pessoas, tinha notícia sensacionalista a temas políticos”, comentou.

O vereador afirmou que empresas de redes sociais e também empresas de jornalismo precisam contar com o apoio da população para que falsas notícias evitem de ser espalhadas e que todas as pessoas precisam verificar de onde vem a fonte das notícias, para evitar que notícias erradas ganhem circulação como se fossem verdadeiras.

“Não podemos aceitar que espalhar falsas notícias seja ação estratégica de campanha. É fazer política de forma suja e rasteira. Não é isso que a população quer. Se algum político vier exaltar fake news, amanhã pode ser ele a vítima. Pode ser partidário ou pessoa física. A pessoa dele pode ser atingindo com inverdades e todos nós podemos ser vítimas”, concluiu.