Em solenidade realizada nesta quarta-feira, 26, a Câmara Municipal de Fortaleza celebrou a atuação da Confraria Chapéu de Couro no fortalecimento da cultura cearense. A homenagem, proposta pelo vereador Eron Moreira (PP), comemora 10 anos de fundação da Confraria.

Eron Moreira destacou a importância da Confraria na difusão da nossa cultura, além de reavivar o sentimento de pertencimento à cidade e aos nossos costumes. “É importante este momento em que apoiamos as pessoas que fazem um trabalho em prol da cultura do Estado”, apontou o parlamentar.

O presidente da Confraria, Paulo Andre Viana, agradecendo a Câmara pelo reconhecimento reforçou o compromisso do grupo no incentivo a preservação da nossa cultura, retratada tão bem nas obras Patativa do Assaré. Ao falar do funcionamento da Confraria, Paulo Viana destaca o engajamento de pessoas por todos Brasil, contando com 13 colaboradores no Ceará e outros 27 em diversos locais do país, além de um confrade em Portugal.

A história da Confraria começou na Skina do Fejão Verde, o futuro idealizador do nome dessa confraria, Roberto Bomfim, sempre nos encontros usava um chapéu de vaqueiro. Aos poucos foi ganhado simpatizantes, principalmente quando ele falava com energia da cearensidade daquele objeto; da sua importância para caracterizar um tipo reconhecidamente cearense / nordestino: O VAQUEIRO.

Com o apoio de Hélio Leite, Everardo e Ozinan e o trabalho de Roberto Bomfim lançou-se a Confraria, realizando a primeira reunião no dia 4 de julho de 2009. Os encontros são realizados mensalmente , os integrantes usam um chapéu nas reuniões, a marca de ferro no lado esquerdo do chapéu, e no direito o nome do confrade, tendo como patrono Patativa do Assaré.

Foto: Evilázio Bezerra