Ao fazer uso do Pequeno Expediente, na sessão ordinária desta quinta-feira, 7, a vereadora Larissa Gaspar (PPL) relembrou a luta das mulheres pela igualdade, fazendo alusão ao Dia Internacional das Mulheres, e apontou os altos índices de violência contra a mulher. A parlamentar ressaltou a importância de políticas públicas voltadas para a prevenção e combate à violência e de assistência às mulheres que são vítimas.

“Venho hoje lembrar a memória das mulheres que bravamente nos antecederam, e deram suas vidas para que hoje nós pudéssemos estar aqui ocupando espaços de poder, de decisão. Quero lembrar as trabalhadoras, operárias de indústrias têxteis em Nova York, que foram queimadas vivas por que lutavam por melhores condições de vida e de trabalho, e lembrar das operárias russas que marcharam contra a tirania do governo, exigindo melhores condições de salário e denunciando as péssimas condições de vida. São a essas mulheres que nós devemos hoje os direitos que conseguimos conquistar, direitos esses que são todos os dias atacados, a começar pela violência contra a mulher”, afirmou Larissa.

Dados do Instituto Maria da Penha revelam que a cada sete segundos uma mulher é vítima de violência física no país. No ranking mundial de feminicídio, o Brasil ocupa a 5ª posição. A pesquisa também mostra que a cidade de Fortaleza é a terceira capital do país que mais assassina mulheres. Ainda segundo a vereadora essa violência gera prejuízos na ordem de R$ 1 bilhão de reais na economia brasileira.

Larissa destacou iniciativas do seu mandato que visam combater o feminicídio. “Nós aprovamos aqui iniciativas importantes, como o Fundo Municipal dos Direitos da Mulher, para que a prefeitura possa captar recursos e investir em políticas que venham combater essa violência. Outra iniciativa importante é o banco de emprego para as mulheres vítimas de violência, que cadastra as mulheres que precisam ser recolocadas no mercado de trabalho, após a extrema violência sofrida. Então fica aqui o desejo de que possamos nos unir e lutar cada vez mais para erradicar todas as desigualdades que ainda pesam sobre nós”.

Foto: Larissa Gaspar