Pelo tempo do Grande Expediente, na sessão ordinária desta quarta-feira, 13, a vereadora Larissa Gaspar (PPL), manifestou repúdio aos partidos que fizeram o desvio de recursos do fundo partidário destinado à candidatura de mulheres, fazendo menção à denúncia de candidata laranja do Pros, que recebeu verba pública de R$ 274 mil.

“A notícia se refere ao desvio de recursos que deveriam ser destinados à promoção de candidaturas femininas, aos quais sabemos que existem ainda desigualdade na participação das mulheres. Conquistamos o voto 400 anos depois que os homens e no ranking mundial a gente ocupa a posição de nº 156, no que se refere a desigualdade entre homens e mulheres na política. Nós somos 56% do eleitorado no Brasil e até ano passado não ocupávamos sequer 10% das cadeiras do Congresso Nacional”, destacou Larissa.

Segundo a parlamentar, as mudanças na legislação nacional destinam 30% do percentual do partido para candidaturas femininas, o que obriga a destinação de 30% dos recursos do fundo partidário para o financiamento de candidaturas de mulheres. Medidas adotadas para corrigir a distorção histórica de desigualdade.

“Nas últimas eleições houve um pequeno aumento graças a legislações nacionais que têm feito um esforço para estimular a presença das mulheres em um espaço de poder. Com esse valor irrisório saltamos para um aumento de 15%, porém a gente se depara com essa notícia de desvio de recursos. É uma distorção que não se justifica e que deve ser investigada com todo o rigor”, defendeu a parlamentar.

A vereadora manifestou repúdio aos partidos que utilizaram candidaturas laranjas para desviar recurso público, que deveria fomentar a participação das mulheres na política. “Fica aqui o nosso repúdio a essa forma nefasta de utilização das mulheres para desviar o recurso público. Que a justiça se cumpra”, finalizou.