O vereador Evaldo Lima (PCdoB) utilizou a tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza, na manhã desta terça-feira, 11, para lamentar o falecimento de um dos militantes mais antigos, simbólicos e comprometidos do PCdoB: José Augusto Meneses. Evaldo aproveitou o momento para pedir um minuto de silêncio.

O parlamentar ainda solicitou a autorização da Mesa Diretora para colocar extrapauta o requerimento n° 5969/2018, que requer o envio de Moção de Pesar pelo falecimento do geólogo e professor, José Augusto Meneses, que morreu no fim da tarde desta segunda-feira (10), aos 81 anos, vítima de um câncer.

Vida e trajetória ligada ao PCdoB

Zé Augusto, como era carinhosamente chamado por todos, foi um dos responsáveis pela reorganização do PCdoB no Ceará. Ele teve atuação importante, sempre em frentes destacadas, sendo, inclusive, membro da direção estadual do PCdoB no Ceará.

O elo que ligava Zé Augusto ao PCdoB vem ainda da década de 1960. Em meados de 1963, teve o primeiro contato com o partido por intermédio de um amigo que atuava com ele na Petrobras. Depois do golpe, em 1964, a casa de Zé Augusto e Argentina passou a ser ponto de apoio da direção nacional. Era lá onde os dirigentes se hospedavam quando vinham ao Ceará. Cartas de militantes clandestinos eram endereçadas para a residência deles e então repassadas para que as famílias tivessem notícias de seus parentes.

Com a reorganização do Partido, nos anos de 1965/1966, juntaram-se a Zé Augusto e Argentina, Abel Rodrigues, Gilse Cosenza e outros valiosos militantes. Já na década de 1980, compuseram a primeira direção estadual do PCdoB, onde assumiu a Secretaria Estadual de Finanças.

Foto: Érika Fonseca.