Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 12, a Comissão Conjunta de Constituição, Justiça e Legislação Participativa com a Comissão de Orçamento, Fiscalização e Administração Pública, aprovou o parecer favorável ao projeto de lei ordinária 123/2019, de autoria do Executivo, que dispõe sobre as diretrizes (LDO) para a elaboração da Lei Orçamentária de 2020 (LOA). A matéria foi lida hoje em Plenário e tem o prazo de três sessões ordinárias para receber emendas.

A LDO é a primeira fase para a elaboração do orçamento anual e faz a ligação entre o Plano Plurianual (PPA), que dura quatro anos, e a Lei Orçamentária Anual (LOA). A iniciativa estabelece as metas e prioridades da administração municipal, a organização e estrutura dos orçamentos, as diretrizes gerais para a elaboração dos orçamentos fiscal, da seguridade social e de investimento das empresas estatais. Além das disposições relativas às despesas de pessoal e sobre alterações na legislação tributária.

Dentre as ações prioritárias para 2020, elencadas pelo prefeito na mensagem, destacam-se; recuperação, ampliação e expansão dos pontos de atenção de saúde primária, secundária e terciária como CAPs, policlínicas, SAMU, UPAs, rede hospitalar, incluindo o IJF com seu anexo, aprimoramento de projetos direcionados à promoção do desenvolvimento integral da primeira infância e a construção de Areninhas, Academias ao ar livre e núcleos de esporte e lazer, prioritariamente em bairros com baixo IDH.

As diretrizes foram divididas por eixos e objetivos estratégicos de governo, tendo como base o Plano Plurianual 2018-2021 e o Plano Fortaleza 2040. São eles;

  • Habitabilitade e Direito à Cidade: promoção do direito à moradia digna e redução do déficit habitacional;
  • Segurança Cidadã e do Patrimônio Público: desenvolvimento de ações preventivas e fortalecimento do Sistema de Segurança Cidadã;
  • Mobilidade e Acessibilidade Urbanas: execução de ações interdependentes e integradas entre as políticas de mobilidade urbana;
  • Saúde e Bem-Estar: assegurar a melhoria da qualidade de vida da população, como manutenção e ampliação dos equipamentos de Saúde e outros;
  • Juventude: disseminação de oportunidades de acolhimento, formação, qualificação e emancipação dos jovens;
  • Direitos Humanos e Assistência Social: enfrentamento da pobreza, proteção e promoção dos direitos de indivíduos, grupos e famílias em situação de vulnerabilidade social;
  • Educação, Conhecimento e Inovação: ampliação do acesso e melhoria da qualidade da Educação, fortalecimento cultural, desenvolvimento científico e tecnológico;
  • Urbanismo, Meio Ambiente e Segurança Hídrica: planejar e executar ações articuladas para manter o meio ambiente seguro, sadio, equilibrado, e a busca pela universalização do saneamento básico;
  • Desenvolvimento Econômico: otimização de ações voltadas ao desenvolvimento econômico local, baseadas no fomento à exploração das vocações e potencialidades do Município;
  • Planejamento e Gestão Integrados e Participação e Controle Social: dotar a administração de mecanismos que asseguram o cumprimento das exigências legais, administrativas, fiscais, e garantir meios transparentes e democráticos de conhecimento, visando uma gestão participativa e decentralizada.

Leia Mais: CMFor realiza Audiência Pública para discussão de Diretrizes Orçamentárias de 2020

Comissão de Legislação delibera sobre matérias do Legislativo

A Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa também se reuniu na manhã desta quarta-feira, 12, e deliberou sobre 29 projetos em tramitação no Legislativo. Em redação final foram aprovados, os PLOs nº 509/2018, nº 040/2019 e n° 029/2019, de autoria respectivamente do ex vereador Soldado Noelio (PROS) e dos vereadores Idalmir Feitosa (PR) e Emanuel Acrízio (PRP).

Foto: Kleber Gonçalves