Em homenagem aos 71 anos de fundação da Comissão Cearense de Folclore (CCF) celebrado em 01 de maio, a Câmara Municipal de Fortaleza realizou na tarde desta sexta-feira, 10, no Plenário Fausto Arruda, uma sessão solene à instituição. Fundada em maio de 1948, na Casa de Juvenal Galeno, a CCF é responsável por realizar pesquisas sobre estudos folclóricos e etnográficos no Ceará. A propositura da solenidade foi de autoria do vereador Iraguassú Filho (PDT), por meio do requerimento nº 1144/2019.

De acordo com o parlamentar, a homenagem é justa pois a Comissão de Folclore tem deixado a identidade e o sentimento de pertencimento dos cearenses como legado importante para o Estado. Iraguassú Filho reforçou que seu pai, Iraguassú Teixeira, enquanto vereador na CMFor, realizou algumas vezes homenagens a esta Comissão Folclórica.

“Importante fazer o reconhecimento de um trabalho dentro da área da cultura e o folclore, muita das vezes, é esquecido pela população, pela sociedade e pelas autoridades constituídas. A gente reconhece os 71 anos da Comissão Estadual, acima de tudo pela história, pelo trabalho e pelo resgate da nossa cultura. A homenagem é feita com justiça pelo trabalho relevante e importante, inclusive na área pedagógica”, disse.

Representando a Comissão Cearense de Folclore, Oswald Barroso ressaltou a importante história da entidade na luta pela preservação histórica da identidade do povo cearense. “É muito importante estarmos aqui hoje celebrando 71 anos desta Comissão. É um bonito reconhecimento da Câmara Municipal de Fortaleza a instituição que fundamenta a nossa cultura, a nossa forma de ser, o nosso valor e o reconhecer cearense”, destacou Oswald Barroso.

Aderaldo Oliveira, presidente do Vozes da África, ressaltou que o maracatu se tornou patrimônio imaterial de Fortaleza desde 2015, e tem espaço garantido no carnaval da cidade. “O Vozes da África é hexacampeão do carnaval de Fortaleza. Hoje, um dia muito importante com a celebração de 71 anos de Fundação da Comissão Cearense de Folclore, o Vozes da África faz parte dessa história”, disse. Ele reconhece que o maracatu representa uma raiz forte com a cultura africana. “Hoje o povo de Fortaleza gosta de maracatu. Faz parte da cultura local”, evidenciou.

Homenageados

  • Antônio Santiago Galeno Júnior; representante da Casa Juvenal Galeno;
  • Maria de Lourdes Macena de Souza: ex-presidente (2005 à 2009);
  • José Clerton Martins de Oliveira: ex-presidente (2009 à 2011);
  • Henrique Pereira Rocha: ex-presidente ( 2011 à 2013);
  • Walden Luiz Furtado Bezerra: ex-presidente (2013 à 2015);
  • Maria Valquíria Mendes Maia: ex-presidente (2015 à 2017);
  • Poliana Santos Braga: atual presidente;
  • Maristela Ataíde Holanda: membro da Comissão Cearense de Folclore desde a década de 80.

Comissão Cearense de Folclore

Fundada em 12 de maio de 1948, na Casa de Juvenal Galeno, a Comissão Cearense de Folclore (CCF) é responsável por realizar pesquisas sobre estudos folclóricos e etnográficos no Ceará. Tem um papel fundamental que se renova a cada ano na promoção da cultura cearense popular e folclórica, seja no seu papel histórico, no seu papel cultural, artístico, acadêmico – com o movimento de pesquisas constantes sobre o folclore –, no papel de formação de pessoas, da difusão e do acervo que a própria Comissão construiu ao longo desses 71 anos de existência.

Galeria

Composição da mesa: vereador Iraguassú Filho (PDT), Gilvan Paiva; secretário de Cultura do Município, Poliana Santos; presidente da Comissão Cearense de Folclore, Oswald Barroso; secretário adjunto da Comissão Cearense de Folclore, Aderaldo Oliveira; vice-presidente da Associação das Entidades Carnavalescas do Estado do Ceará; Vinícius Frota; gerente de Patrimônio Imaterial da Secretaria de Cultura do Estado, Paulo Tadeu; decano da Comissão Cearense de Folclore.

Fotos: Evilázio Bezerra.