Na tarde desta quarta-feira, 15, a Câmara Municipal de Fortaleza recebeu uma turma de pais e estudantes da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais – APAE, que vieram participar de uma visita e contação de estória.

Em busca da troca de experiências e interação permanente com a comunidade do entorno, a CMFor protagonizou a iniciação de um projeto que visa aproximar a população aos livros. A Biblioteca Cidadã tem o objetivo fazer com que as pessoas tenham acesso a leitura e busquem informações no acervo da Casa.

A primeira turma a participar do projeto foi da APAE, cerca de 20 pessoas puderam acompanhar o teatro de bonecos contando estória de forma lúdica. A atração trazia como personagem principal ‘o sapo fanfarrão’. Atentos aos bonecos que interagiam com o público, as crianças tornaram sua tarde mais atrativa dentro da Casa do Povo.

Para a responsável pela biblioteca da Câmara, Dagoneida Albuquerque, a experiência é enriquecedora, pois além de abrir as portas do Legislativo para receber crianças e adolescente, encaminhando-as para o caminho da leitura, a Casa também divulga outros serviços ofertados à população. “Fiz uma pesquisa de campo durante dois meses na comunidade e observei que as pessoas não conheciam o espaço da Câmara e nem os serviços ofertados por nós”, atentou a servidora.

Dagoneida Albuquerque informou ainda que a biblioteca fica disponível ao público diariamente no horário de 8 às 16:30h, e que o serviço de empréstimo de livros estará disponível, inicialmente, aos servidores da Casa. O acervo contempla livros de História do Brasil, do Ceará, Direito, Sociologia e Literatura.

A professora da APAE, Verônica Milhome, falou da importância da ação para o desenvolvimento dessas crianças. “É de grande importância essa atitude da CMFor, pois nós da APAE trabalhamos com a autonomia e inclusão e esse momento proporciona isso colocando esses meninos para participar da sociedade. Muitas pessoas acham que devido a deficiência eles não têm capacidade, no entanto precisam ter seus direitos garantidos como qualquer cidadão”, frisou a professora.

A dona de casa Geslane de Oliveira, mãe do Luís Ismael de 13 anos, disse está surpresa com a disponibilidade de uma mais uma biblioteca para a comunidade. “Gostei bastante da visita, pois até então eu não sabia que na Câmara Municipal tinha uma biblioteca. Acho que outras pessoas poderiam vir aqui, pessoas de outros bairros também. Ação como essa ajuda no desenvolvimento do meu filho”, disse.

As próximas visitas estão agendadas para os dias 29 de maio, segunda turma da APAE, e 30 do mesmo mês com os estudantes do Colégio Jaime de Alencar que farão uma apresentação de peça teatral e um mural sobre a temática: poluição sonora.

Dagoneida Albuquerque reforça que tanto livros como revistas podem ser doados na CMFOR e o acervo será repassado para a minibiblioteca da APAE. Para agendar visitas escolares basta marcar pelo telefone: (85) 98920.3697.

APAE

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae ) nasceu em 1954, no Rio de Janeiro. Caracteriza-se por ser uma organização social, cujo objetivo principal é promover a atenção integral à pessoa com deficiência intelectual e múltipla. A Rede APAE está presente em mais de 2 mil municípios em todo o território nacional.

Galeria

Fotos: Evilázio Bezerra.