A vereadora Larissa Gaspar (PPL) celebra a cultura brasileira.

A Câmara Municipal de Fortaleza realizou na tarde desta quinta-feira, 23, no plenário Fausto Arruda, uma sessão solene em homenagem aos capoeiristas fortalezenses pela importante contribuição da capoeira para a cultura brasileira. A solenidade de autoria da vereadora Larissa Gaspar (PPL), por meio do requerimento nº 623/2018.

De acordo com o requerimento apresentado pela parlamentar, “essa é uma oportunidade ímpar de prestigiar e valorizar os capoeiristas que mantém viva essa valiosa expressão cultural brasileira no município de Fortaleza, sendo inclusive uma oportunidade de dar visibilidade a Roda de Capoeira que é considerada Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela UNESCO”.

Larissa Gaspar ressaltou a importância da modalidade frisando que vai além de um esporte nacional, mas de uma filosofia de vida. “Não é só um esporte, mas também é arte, cultura, história, tradição e filosofia de vida para muitas pessoas e é o que muitas vezes resgata nossas crianças, adolescentes e jovens, principalmente aqueles que estão nas periferias de Fortaleza, passando por situação de vulnerabilidade social. É através da capoeira que esses jovens conseguem reescrever sua história, enxergar uma possibilidade de transformar sua vida, de se sentirem socialmente incluídos e capazes. A capoeira chega muitas vezes onde o poder público não consegue chegar. Por isso, é muito importante reconhecer o trabalho que esses mestres e mestras vêm fazendo com muita dificuldade no Município”, disse a vereadora.


Acredito que esse reconhecimento é um passo para os futuros mestres e mestras que virão. Vocês darão continuidade a capoeira no Ceará, para que se mantenha sempre viva”. Mestra Paulinha 

Mestre Wlisses Ferreira, disse que a solenidade, o reconhecimento, já é um grande passo para que a sociedade passe a conhecer a capoeira não só como um mecanismo de socialização, mas como algo mais amplo. “A importância da capoeira para o estado do Ceará tem um outro lado, o de expansão e de educação”, evidenciou o capoeirista.

Homenageados

  • João de Freitas – Mestre João Baiano;
  • Wlisses Ferreira Lima – Mestre Wlisses;
  • Paula Andréa Zumba Fideles – Mestra Paulinha;
  • Patrícia Mayra Ferreira Lima – Mestra Nega;
  • Armando Teixeira Leão – Mestre Armandinho;
  • Carla Mara Henrique Silva – Mestra Carla

Galeria

Fotos: Evilázio Bezerra.

Surgimento da Capoeira

A luta 100% brasileira foi criada no século 17 por escravos africanos. Por causa da origem, ficou proibida oficialmente até 1937, embora nunca tenha deixado de ser praticada. Nos anos 30, o baiano Manuel dos Reis Machado, o mestre Bimba, tirou os capoeiristas do chão, quebrou o gingado e incorporou golpes de outras lutas. Sua criação, a capoeira regional, se diferencia até hoje da capoeira angola, mais tradicional e difundida a partir da década de 1910 pelo baiano Vicente Ferreira, o mestre Pastinha. No século 20, a capoeira virou esporte, com direito a confederação nacional. FONTE: Super Interessante.