A Câmara Municipal de Fortaleza realizou nesta segunda-feira (16) Sessão Solene em Homenagem aos 90 anos da Paróquia Nossa Senhora das Dores no Bairro Otávio Bonfim, bem como, os 90 anos da presença dos franciscanos naquele bairro. A solenidade foi proposta pelo vereador Michel Lins (Cidadania), por intermédio do requerimento 3825/2019, aprovado por unanimidade pelo plenário da casa.

A sessão foi presidida pelo vereador Michel Lins, no ato representando o presidente do Legislativo Municipal, Antônio Henrique (PDT). A mesa de honra contou com as presenças Ministro Provincial Frei João Amilton; do Guardião do Convento, Frei Francisco Rogério; do Vigário da Casa, Frei César; do pároco, Frei Francisco Edson; do representante da comunidade paroquial o senhor Vavau, vice-presidente da Comissão da Liberdade Religiosa e franciscano da ordem terceira, Ivan Moura.

Em sua saudação aos presentes, Michel Lins lembrou que no ano passado foram celebrados os 55 anos do templo da paróquia. “Hoje estamos comemorando 90 anos da chegada dos franciscanos em Fortaleza e da Igreja propriamente dita. Minha fala é muito mais para a igreja formada por homens e por mulheres do que a física Por isso, inicio minhas palavras com uma frase de São Francisco, ‘comece fazendo o que é necessário e depois o que é possível e de repente você estará fazendo o impossível’. A Igreja precisa ir além dos muros, além das palavras. Difícil é ser exemplo. São Francisco diz que se deve evangelizar de todas as formas, e se necessário utilizar as palavras. Talvez na Igreja de hoje estejamos precisando muito mais de atitudes do que palavras”, frisou.

“As palavras chegam às pessoas, mas os exemplos arrastam. Você abrir mão de amigos, família, do conforto para se dedicar ao próximo, não é fácil não. Aqui temos homens como os outros, que todos os dias têm que abdicar de suas vontades, quereres, desejos, para servir os outros. As vezes, a gente só observa, mas não sabe a gravidade e a intensidade de ser franciscano. Hoje, na minha visão celebramos 90 anos de muito amor da igreja que é física, mas que é principalmente humana. Igreja feita por homens e mulheres”, ressaltou.

“Lembro outra frase de São Francisco; O que temer? Nada. A quem temer? Ninguém. Por quê? Porque aqueles que se unem a Deus obtêm três grandes privilégios: onipotência sem poder; embriaguez, sem vinho; e vida sem morte. Encerro minha fala pedindo uma grande salva de palmas a Deus pela vocação de cada um, de vocês, que dedicam toda sua vida por amor ao próximo,” concluiu.

Em seguida, o vereador Michel Lins fez a entrega de placas comemorativas que foram recebidas pelo ministro Provincial, Frei João Amilton e pelo Guardião do Convento, frei Francisco Rogério. O Frei João Amilton dos Santos falou agradecendo a homenagem. Ele leu uma mensagem comemorativa da presença dos franciscanos no Ceará. “A pedido do arcebispo de Fortaleza, Dom Manuel de Silva Gomes, acordada com a Casa Provincial, foi definida a vinda dos franciscanos para Fortaleza. No dia 1º de Março de 1929, o arcebispo benzeu a pedra fundamental da Igreja e do Convento. A finalidade da vinda dos franciscanos, era evangelizar, assumindo as normas pastorais da Arquidiocese e o carisma de São Francisco e prestar apoio à Basílica de Canindé. Até hoje a Paróquia continua prestando esse apoio”.

“Os frades alemães foram os primeiros a residirem em Fortaleza e assumiram com a missão de construir a Igreja, o convento e demais construções. A primeira festa de Nossa Senhora das Dores aconteceu um ano depois da chegada dos franciscanos à Fortaleza com uma imagem vinda da Itália, Os símbolos vieram da Alemanha. O ensino menor foi denominado de São José, O ensino médio de São Sebastião e o Ensino Grande de Santíssima Virgem Nossa Senhora das Dores”.

“Conforme o documento, a ereção de paróquia, aconteceu em setembro de 1963, através do arcebispo dom José Medeiros Delgado. A paróquia e o convento apresentam uma rica história, de devoção popular, festas de padroeiros e atividades sacramentais, devocionais ao logo desses 90 anos. Hoje residem no convento 10 frades, entre frades e estudantes de teologia, levando a mensagem da boa nova, através do Evangelho e do carisma de São Francisco. Santo Antônio, São Francisco e Nossa Senhora das Dores são os santos prediletos dos cearenses e em especial dos paroquianos da Igreja Nossa Senhora das Dores. Finalizo pedindo a Deus Nosso Pai, que abençõe os responsáveis e todos nós”.

História

A Igreja de Nossa Senhora das Dores. inaugurada em 1932, foi uma parte do investimento dos Frades Franciscanos, que além desta construíram, ainda, o Convento de São Francisco e o Cine Familiar. Segundo a história, o Convento de São Francisco chegou a ser invadido por um dia durante a Segunda Guerra Mundial, pois os frades eram alemães. Naquele período propriedades de famílias alemãs (família Lundgren), famílias italianas (família D’Francesco) e famílias japonesas (família Fujita) sofreram represálias da população de Fortaleza.

Conforme a justificativa do requerimento, a Igreja das Dores, com 90 anos, apresenta uma rica e bela história, semelhança de outras que se construíram a força da fé e da devoção particular e coletiva. “As gerações mais novas que passam, ou residem no bairro de Otávio Bonfim e adjacências, e olham a igreja com a habitualidade com que os olhos se acostumaram, ignoram a história do templo e de como ele nasceu para servir de guia, para aquele antes atrasado e inexpressivo meio. Pretendemos contar um pouco desses fatos para os jovens que amam a sua cidade, mas desconhecem, a falta de maiores dados, o início das coisas que veem e admiram. Afinal o amor não é fruto do grande conhecimento ou sé se ama verdadeiramente bem aquilo que bem se conhece?”

Fotos: André Lima