A Câmara Municipal de Fortaleza realizou nesta sexta-feira (23) Sessão Solene em homenagem ao Dia do Maçom. A solenidade foi proposta pelo vereador Idalmir Feitosa (PR), primeiro-secretário da Mesa Diretora da CMFor, através do requerimento 2652/2019, aprovado por unanimidade pela Casa Legislativa. A sessão foi presidida pelo autor do requerimento vereador Idalmir Feitosa, no ato representando o presidente do Legislativo Municipal, vereador Antônio Henrique (PDT).

A mesa de honra foi composta pelas seguintes personalidades: sereníssimo grão-mestre Grande Loja Maçônica do Estado do Ceará, Narciso Dorta Ernandes Filho; eminente grão-mestre adjunto, Márcio Tarcísio Sales; Grande Segundo Vigilante, André Luís Nunes; suprema deputada das Filhas de Jó, Ivelise Maia; grande secretário da Estrela do Oriente,k José Ribamar Pires Barroso; oficial executivo da ordem Demolay, Antônio Augusto Neides de Sousa; presidente estadual da Cruz Vermelha, Alan Damasceno

Em sua saudação aos presentes o vereador Idalmir Feitosa disse que o poder é paz e perdão. “Assim tem que ser os obreiros de nossas lojas maçônicas. O maçom deve pregar a liberdade, igualdade e fraternidade e trabalhar pelo bem-estar de toda humanidade. A presente sessão foi uma iniciativa de nossa autoria, por requerimento que foi aprovado por unanimidade. Sinto-me feliz e agradecido ao grande arquiteto do universo que me concedeu diante de minhas prerrogativas legislativas de exortações e felicitações para comemorarmos do dia do maçom. Ser maçom é afastar-se das mazelas do mundo, para exercer com serenidade o verdadeiro amor ao próximo, que deve ser praticado como o amar a si mesmo. Aliado a sua consciência, deve exercer a liberdade, igualdade e fraternidade, levando consigo a máxima de Deus, que disse ser o caminho, a verdade e a vida”, disse.

Afirmou que movido pelo sentimento, evoca aos maçons às palavras de São Francisco que recomendou a buscar a verdade, “o pior dos erros é o auto engano que leva uma pessoa mentir tanto, tanto, que certa altura passa a acreditar que a mentira é a verdade. Podemos cair na armadilha da mentira, acabamos nos convencendo que a verdade é que é a mentirosa. Quantos corruptos alegam receberem dinheiro, pois são obrigados, e se não fizerem os outros farão. No campo do relacionamento a pessoas se enganado a si mesma, trai seu parceiro e alega que a culpa é do outro, que não soube proporcionar a felicidade”, ressaltou.

“Todos nos corremos o risco do autoengano, nos afastamos de Deus e perdemos os critérios do que é certo e errado, precisamos voltar a Deus. Erro é desrespeitar o próximo, verdade e o amar como a sim mesmo. Erro é colocar os bens materiais acima dos espirituais, verdade é buscar o reino de Deus e o resto virá como acréscimo. Erro é nos colocarmos no lugar de Deus e pensar que temos a última palavras, verdade é pedir a ele que cuidemos com os problemas do dia a dia, e que não fiquemos angustiados com o futuro”.

“Levar a verdade aos outros é trazer para si o combate ao autoengano e com isso é preciso ter humildade. Há quem passe a vida buscando a fama e o respeito, que pode ter como consequência a anulação como pessoa. Aonde está a verdade com V maiúsculo? Como resgatá-la e colocá-la como fonte de nossos pensamentos e nossa conduta? Jesus falou sobre isso. Caminhar na verdade é agir como Jesus agia, para que durmamos o sono dos justos.”

“Estas palavras seguirão para que o justo e abnegado maçom comemorando a celebração de seu dia, pratique a paz com amor e valorização da vida e de todos os seres. Muito ainda poderia dizer sobre a vida dos maçons, mas encerro essa saudação com a oração do celebre Mahatma Gandhi que proverbalizou a sentença: Senhor, ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos. Se me dás fortuna, não me tires a razão. Se me dás sucesso, não me tires a humildade. Se me dás humildade, não me tires a dignidade. Ajuda-me a enxergar o outro lado da moeda. Não me deixes acusar o outro por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim. Ensina-me a amar os outros como a mim mesmo. Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se fracasso. Mas recorda-me que o fracasso

é a experiência que precede o triunfo. Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza

e que a vingança é um sinal de baixeza. Se não me deres o êxito, dá-me forças para aprender com o fracasso. Se eu ofender as pessoas, dá-me coragem para desculpar-me. E se as pessoas me ofenderem, dá-me grandeza para perdoar-lhes. Senhor, se eu me esquecer de Ti, Nunca Te esqueças de mim”.

“O grande arquiteto do universo nos proporcionou essa oportunidade para refletir. Segundo Santo Agostinho feliz é amar e ser amado. Podemos perpetuar nossos valores éticos e morais para servirmos nossa instituição maçônica diante do nosso criador que é Deus, viva o maçom e viva para sempre em nossos corações a maçonaria”, finalizou.

Em seguida o vereador fez a entrega do certificado pelo Dia do Maçom ao sereníssimo Grão-Mestre Narciso Dorta Hernandes Filho. Houve ainda a apresentação do sanfoneiro João Bandeira Júnior. Ato contínuo, Narciso Dorta fez os agradecimentos, em nome dos maçons cearenses: “temos trabalhado para desmistificar a maçonaria, aqui tivemos a palavra do presidente dessa solenidade, falando do antagonismo entre a mentira e a verdade. As vezes a mentira falada muitas vezes pode se fantasiar de verdade. Por isso, a verdade precisa ser falada sempre para ser mantida. Assim como nossa entidade tem sido vista com preconceito, hoje optamos pela informação. E aqui farei o mesmo discurso que fiz na Assembleia Legislativa, quando fomos homenageados lá. Nosso papel é informar as pessoas sobre a maçonaria, nesse exercício da massificação da verdade”, asseverou.

Dorta disse que poderia centrar sua fala nos fatos que definiram o 20 de agosto como dia do Maçom ou mesmo outros acontecimentos onde o trabalho do maçom fez a diferença, como a libertação dos escravos, mas preferiu aproveitar o momento para revelar para aquelas pessoas que não conhecem o que é a maçonaria e os maçons o que realmente é essa instituição milenar. “Ainda há no imaginário popular crendices e preconceitos sobre a maçonaria que em alguns momentos atrapalham o nosso relacionamento com a sociedade e atrapalham nossas prestações de serviço. Nesse momento é necessário desmistificar a instituição, contestada por muitos e amada por outros, que tem grandes personalidades em sua história”, frisou.

Disse que por atrair para si o bem da humanidade é uma instituição diferente. “A Maçonaria é uma instituição civil, não é secreta. Nossas lojas e grandes lojas têm endereço fixo estão registradas com CNPJ. É uma escola de ensinamento moral, que faz o bem para que as pessoas alcancem a evolução. Educamos o homem não para torná-lo superior, mas para que se aproxime de Deus. Só entram em nossa instituição aqueles que acreditam no ser supremo, o Grande Arquiteto do Universo que criou tudo. O maçom crê na vida futura e sabe que a vida é algo muito maior que a falha visão humana alcança”, detalhou.

“Não é religião, mas tem homens de várias religiões. Respeita a prática de todas religiões, a despeito daquele que opta para si. Estimula a religiosidade e é composta por homens comuns, São irmãos e tem entre si uma grande verdade, a crença no Grande Arquiteto do Universo. Temos o livro das sagradas escrituras aberto e que é citado nas sessões. Trabalhamos por pessoas melhores e as mudanças começam pelo próprio maçom e não nas pessoas que o cercam. O maçom não exige a mudança de ninguém, a não ser de si mesmo. O trabalho espiritual precisa um esforço pessoal. Combater os vícios da vida e ter uma postura moral. Esse é o exercício que os maçons praticam, buscar a verdade sempre, para tornar feliz a humanidade. Atualmente existem forças que querem nos empurrar para a infelicidade, por isso precisamos reagir. É preciso resgatar o desejo de ser feliz, e isso só é possível se espalharmos a felicidade por onde passarmos”, enfatizou.

“Podemos dizer que a maçonaria é felicidade, porque na elevadíssima missão de levar a felicidade para a humanidade, recorre a dons é formada por homens que se dedicam, mantêm ao longo de seculos a tradição pelo sagrado, preservação do meio ambiente, pela paz. Mesmo com suas sessões para alguns, não descuida da família. É felicidade porque não aceita quem não acredita em Deus. É felicidade porque prega o bem. Em todo mundo a maçonaria esteve presente nos principais momentos da humanidade. No Brasil esteve em momentos cruciais também. No Ceará temos 20 mil pessoas em vários municípios, e ampliamos nosso trabalho através de ordens paramaçônicas, como a ordem da Estrela do Oriente, Ordem Demolay e Filhas de Jó, entre outros. Todas elas fundadas preservado a elevada moral e o respeito à família, a pátria e a humanidade”, concluiu.

Histórico

Comemorado no dia 20 de agosto em todo o País, o Dia do Maçom celebra de forma simbólica a importância dos maçons durante toda a história do Brasil. A comemoração marca o dia em que, no ano de 1822, vários grupos da maçonaria se reuniram no Rio de Janeiro para discutir – e aprovar – a Independência do Brasil. O próprio Dom Pedro I e seu conselheiro, José Bonifácio, eram maçons. Nessa data, a assembleia uniu as comunidades Comércio e Arte, União e Tranquilidade e Esperança de Niterói. Para os maçons, o grito de independência do dia 7 de setembro seria apenas um eco do que já havia sido decidido durante essa reunião.

O irmão Gonçalves Ledo que tinha influência na sociedade naquela época fez um discurso emocionante e pediu a independência do Brasil, a ideia foi aprovada por todos irmãos e registrada ata do calendário maçônica, ano da verdadeira luz de 5.522. Teria sido por impulso da sociedade maçônica que o príncipe brasileiro Dom Pedro I declarou a independência do Brasil no dia 7 de setembro de 1822.

O maçom dedica religiosamente a tarefa de explorar no homem o que ele tem de melhor, o poder de fazer desse mundo um lugar melhor, o estudo maçônico não é superficialidade, o foco é a família. Com fé no grande Arquiteto do Universo, o que busca é uma vida digna. O dia do maçom em Fortaleza é comemorado no dia 29 de março data de inauguração da Grande Loja Maçônica do estado do Ceará.

Fotos: André Lima