A Câmara Municipal de Fortaleza realizou, nesta sexta-feira (28), Sessão Solene em alusão aos 26 anos de criação da Pastoral dos Surdos da Igreja Católica, do Estado do Ceará. A solenidade foi proposta pelo vereador Eron Moreira (PP), através do requerimento 1229/2019, aprovado por unanimidade pelo plenário da Casa Legislativa. O vereador Dr. Eron destaca que a Pastoral dos Surdos é uma exitosa construção, que tem por objetivo o acolhimento humanitário, nos vários processos de inclusão social e cristã, das pessoas portadoras de surdez

A sessão foi presidida pelo próprio vereador Dr. Eron Moreira, no ato representando o presidente da CMFor, Antônio Henrique. A mesa solene foi composta pelas seguintes personalidades: Fernando Antônio de Araújo Melo, interprete pioneiro da Pastoral dos Surdos no Ceará, Padre Pedro Rodrigues Neto; Irmã Liliana Veiga Pinheiro; Wagna Ferreira de Ávila; Sílvia Helena Mota; Carlos Augusto Oliveira Freire Mendes Braga; Veridiano Ferreira de Carvalho.

Em sua saudação aos presentes, o vereador Eron destacou a Importância de reconhecer o trabalho social de evangelização e acima de tudo humanitário e de inclusão da Pastoral dos Surdos. “Sou médico, oftalmologista, gestor em saúde, estou vereador graças ao povo que me confiou o mandato. É importante para que passemos a imagem da igreja católica nessa função de formação e orientação espiritual. Quero destacar aqui o trabalho realizado pela querida Paróquia de Nazaré que me inspirou a realizar esse momento. Como sou deficiente, tive paralisia infantil, sei que nesse país, se não for a luta, ai você passa em brancas nuvens, deixa de ser uma pessoa que respeitem”, ressaltou.

“Minha fala é de gratidão a uma mulher evangélica, Michele Bolsonaro. Alguns se colocaram contra conceder a ela o Título de Cidadã, mas meu argumento é que não importa de quem ela é esposa, ela é acima de tudo cristã e teve a ousadia de no dia da posse do Presidente dizer quem ia defender a grande causa que foi a defesa dos deficientes, isso nos deu esperança de dias melhores. Para finalizar, quero agradecer a presença de vocês e dizer que essa solenidade para facilitar a luta de vocês. Esse evento não representa apoio ao vereador Eron, esse momento não é político, mas de fortalecimento da causa de vocês”, concluiu.

Em seguida foram iniciadas as homenagens com a entrega de placas em alusão aos 26 anos da Pastoral dos surdos aos seguintes homenageados: Pedro Rodrigues da Silva Neto, que recebeu as placas também em nome do arcebispo Dom Antônio Aparecido Marques Tosi e do Padre Francisco de Assis Apolônio; irmã Liliane Veiga Pinheiro; Wagna Ferreira de Ávila; Sílvia Helena Mota; Carlos Augusto Oliveira Freire Mendes Braga e Veridiano Ferreira de Carvalho.

Sílvia Helena Mota fez sua saudação em nome da Pastoral dos Surdos em Libras, com ajuda de uma intérprete. “Comecei na paróquia de Santa Luzia onde tínhamos um grupo de surdos, No começo não tínhamos interpretes, mas depois eles foram chegando e nos brindando com a acessibilidade as celebrações. Por isso, quero agradecer a todos os interpretes que fizeram seu papel naquele momento, ao Padre Apolônio e a esse momento tão especial para todos nós. Na Arquidiocese de Fortaleza, comecei como coordenadora da Pastoral dos Surdos e hoje sou tesoureira das pastorais. Quero agradecer a todos que fazem parte dessa história”, frisou

A atual coordenadora da Pastoral dos Surdos, Wagna Ferreira, também se pronunciou em LIBRAS. “Boa noite a todos os presentes, sou coordenadora regional do Nordeste I. Temos 12 paróquias com pastoral dos Surdos e cinco dioceses no Nordeste I. Quero agradecer a todos da pastoral dos Surdos, muito obrigado pelo trabalho de fortalecimento da pastoral. Esse momento é tão emocionante para mim e sei que Deus está conosco. Quero agradecer ao Dr. Eron por propiciar esse momento de reconhecimento a todos nós”, pontuou.

O terceiro pronunciamento foi o interprete Carlos Augusto Oliveira que fez um agradecimento pela Coordenação Nacional de Interpretes ao Dr Eron. “Aos vereadores Antônio Henrique, presidente da Câmara e Francisco Eron Moreira e a pastoral dos surdos se alegra a essa solenidade comemorativa. Sem dúvida essa sensibilidade do vereador e este acontecimento vai muito além de homenagear esse instituto, mas se estende a toda comunidade surda que foi atendida direta ou indiretamente por essa pastoral, e até mesmo os surdos e surdas que sequer conhecendo esse trabalho são lembrados nessa solenidade”.

Nossa comunidade foi esquecida pelo IBGE Fortaleza no último censo. Sem dados oficiais é difícil para nossos agentes articularem programas de expansão da pastoral. Imbuídos pelo tema da Campanha da Fraternidade deste ano “Fraternidade e Politicas Públicas” é que solicitarmos politicas para melhoria da qualidade de vida do povo surdo de Fortaleza. Nosso povo existe e existe no silêncio, mas tem a esperança de ter vida e vida em abundância. Não podemos esquecer dos interpretes que por vocação dão voz e vez aos surdos, valorizem esses profissionais. Que maravilha seria, se Fortaleza fosse uma cidade plenamente acessível. Essa homenagem é uma honra e agradecemos o arcebispo Dom Antônio, que em 20 anos a frente da Igreja no Ceará sempre apoiou a pastoral dos Surdos”, destacou. No final da solenidade, o vereador Eron Moreira destacou que a Câmara promove a acessibilidade, tendo em seus programas de TV com uma equipe de interpretes de Libras.

PASTORAL DOS SURDOS

Iniciou no Ceará em 20 de julho 1993 com a colaboração do padre Apolônio então pároco da igreja de Santa Luzia. Alguns surdos a exemplo de Luiz Eduardo, Suderlane, Sílvia e Eline, e outros ouvintes interpretes, que conheciam a língua de sinais deram os primeiros passos. Com o objetivo de tornar acessível o ingresso de pessoas surdas foram feitas celebrações com esse fim. Aqui no Ceará recebemos encontros nacionais e a tivemos um representante na Pastoral Nacional.

Outras paróquias começaram a compor suas pastorais e se acostumando com a presença dos surdos. Não foi fácil e continuam na luta para que sejam respeitados e acatados. Aqui, a Pastoral dos Surdos, recebe orientação da coordenação nacional e da CNBB. A pastoral vem crescendo no Ceará, atuando na Arquidiocese e dioceses, e vem realizando atividades como a preparação dos surdos para receberem os santos sacramentos, oficinas de libras e encontros mensais, retiros especiais e encontros de oração, com apoio do instituto, Fillipo Smaldone e das Irmãs Salesianas do Sagrado Coração em Fortaleza que tem dado apoio logístico e espiritual. Hoje temos surdo evangelizando surdos, assumindo cargos de responsabilidade e atuando como verdadeiros lideres.

Fotos: André Lima