Sessão solene realizada, nesta quinta-feira (28), prestou homenagem aos 30 anos de existência do Projeto Família da Comunidade Católica Shalom, celebrado em 22 de Outubro. A solenidade foi proposta pelo vereador Jorge Pinheiro (DC), através do requerimento 5138/2019, aprovado por unanimidade pelo plenário da Casa Legislativa. A sessão foi presidida pelo próprio propositor da homenagem, no ato representando o presidente da Câmara, Antônio Henrique (PDT).

A mesa de honra foi composta pelas seguintes personalidades: Cláudio Henrique Rodrigues Viana e Laura Queiroz Caúla Viana, membros consagrados da Comunidade Católica Shalom, representando o padre Sílvio Scopel; Alderi Farias dos Santos e Francisca Amorim dos Santos, membros consagrados de Comunidade Aliança Shalom, representando todas as famílias que fazem parte do projeto Família Shalom; Caetano Márcio Linhares e Viviane Farias Oliveira Linhares, membros consagrados da comunidade Aliança, coordenadores do Centro Parquelândia.

Em sua saudação aos presentes o vereador Jorge Pinheiro disse que esse ano é agraciado para o Programa Família. “São 30 anos, que pode ser um sinal. Podemos entender que foi a partir dos 30 anos que começa a missão de Jesus. Podemos entender que Deus estava nos preparando para o trabalho grande que é a evangelização das famílias. Ao recepcionar os que chegavam aqui vi tantas pessoas que dedicaram suas vidas em prol das famílias. O que vemos hoje são pessoas tentando acabar com o papel dos pais e das mães, com o papel da família. Tem pessoas pleiteando casamento com animais. Quando tudo é família, nada é família. Agente pode ver Fortaleza com grande violência. Um pensador diz que quando uma sociedade não está bem, é porque as famílias não estão bem. Por isso, precisamos cuidar das famílias. E é isso que o Projeto Família faz”, pontuou.

Ele citou um projeto apresentado por um vereador da Casa tratando da liberdade de expressão. “Eu apresentei uma emenda proibindo o ensino da ideologia de gênero nas salas de aula. Um sindicato tentou reagir, e de todas as formas tentou nos esmagar. Mas graças a Deus, nosso senhor cuida muito e podemos dizer de maneira clara, que não retiro essa emenda. Vieram com ‘fakes news’, dizendo que eu queria tirar 1/3 dos professores, que é para planejamento e preparação de aulas, dizendo que eu era inimigo da educação. E começaram a divulgar que eu era contra a educação pública e queria instalar câmeras em todas as salas. Quero mostrar com isso que a Câmara entende a importância das famílias. Um dia quando cheguei aqui olhei para a imagem de Cristo e passei a não me defender, mas a explicar o que estava acontecendo”, comentou.

Relembrou que professores vieram à casa o acusando de fascista, de homofóbico, entre outras coisas, e que ele deveria ser queimado. “Mas 30 vereadores ficaram do meu lado. Hoje estamos aqui reunidos, na alma de Fortaleza e no coração de Fortaleza homenageando vocês por cuidarem das famílias. Em nome dessa Câmara, que é uma muralha em defesa da família, e em nome do povo de Fortaleza eu digo a cada um de vocês, muito obrigado, pelas noites que saíram de suas casas e pelos fins de semana para atender outras famílias. Quantos e quantos sacrifícios que vocês tiveram que fazer. Mas o senhor há de dar uma recompensa a vocês! Pedimos que se renove o compromisso a missão de cuidarmos das famílias. Acreditamos que um dia se tornará real uma profecia antiga de que as pessoas virão a Fortaleza não por causa das praias ou pelo turismo, mas para conhecer o que foi feito nessa cidade para ela ser conhecida, como Cidade da Paz!

Em seguida, falou Cláudio Henrique Rodrigues Viana que agradeceu pela homenagem. Ressaltou que tinha três anos de casado quando participou do seminário da família. “Hoje meu filho que tinha três anos naquela época, faz parte do projeto, que vem auxiliar as famílias a perseverarem”, frisou. Cláudio Viana destacou que a política é uma vocação muito bonita, pois coloca o político a serviço da sociedade, da polis, da cidade. “É uma missão onde ele dedica sua vida. Onde é chamado para defender os valores da sociedade. A política hoje para muitos tem uma imagem distorcida, mas vemos pessoas fazendo diferente, como o vereador Jorge Pinheiro. Parabéns por seu mandato. Obrigado pelo seu sim a essa missão”, asseverou.

Cláudio Viana destacou que o projeto família tem realizado um trabalho de evangelização, de resgate das famílias, com 28 centros em Fortaleza, que considera pouco para uma cidade de quase 3 milhões de habitantes. “Precisamos avançar. As famílias nos procuram, elas estão desesperadas, estão com problemas com os filhos, financeiros. A messe é grande e os operários são poucos. O projeto mudou minha vida, e o seu alcance é grande. O Seminário Família está presente em todo o Brasil, mas iniciou aqui. Rogo a Deus que derrame sobre todos nós copiosas graças e que retribua a vocês que deram a vida por essa obra, 100 vezes mais de graças”, frisou.

Laura Queiroz Caúla Viana disse que é fruto do Projeto Família e que seu coração não cabe o amor que tem pela comunidade. “Não sei onde estaríamos hoje, se não fosse o projeto e a dedicação das pessoas. Agradeço pois se estamos perseverando, foi porque vocês se dedicaram a nós”. Falou em seguida, Caetano Márcio Linhares, que citou a sensibilidade do vereador Jorge Pinheiro com relação ao tema cuidado com as famílias. “Nós que fomos contagiados por esse amor, temos que oferecer de graça o que recebemos de graça. Que Deus nos dê a graça de transbordar esse amor para pessoas tão feridas e filhos que não respeitam mais os pais. Isso nos dá força para continuar. A família é uma instituição querida e pensada por Deus, que as vezes querem distorcer, mas estamos aqui para sermos as mãos de Deus”, enfatizou.

Ato seguinte foram homenageados os casais: Cicero Alves e Débora Montenegro Alves; Raimundo Adelino Germano Arruda e Germana Maria Gurgel Arruda; Hildeberto Cardoso Neto e Elisa Cardoso Bastos; Marcos William Albuquerque e Regina Cláudia Albuquerque; Hélder Gurgel e Ana Gurgel; Paulo de Tarso Barbosa Viana Júnior e Adriana Castelo Branco de Paula Viana; Flávio da Silva Lira e Claudiane Silva Lira; Antônio Fagner Cirilo Viana e Michele Oliveira Luna Viana; Leandro barros Veras e Rafaele Sales Veras; Charles Santos da Silva e Suziane Holanda de Sousa; Caetano Márcio Linhares e Viviane Maria Oliveira Linhares.

Foi entregue também uma placa pelos 30 anos de existência do Projeto Família, ao casal Alderi Farias dos Santos e Francisca Amorim dos Santos, membros consagrados da comunidade Aliança da Comunidade Shalom, representando todas as famílias do projeto.

Em nome de todos homenageados falou Evandro Monteiro. “Agradecemos ao presidente Antônio Henrique por abrir a Casa do Povo que também é a Casa de Deus. Comemoramos essa noite em honra de nosso senhor Jesus Cristo e em honra das pessoas que trabalham em favor da família. São 30 anos do projeto Família. Quero lembrar do princípio. A família é um dever do Estado e na Constituição é a base da sociedade. É um direito inalienável, pois ela tem um princípio que se dá na eternidade. É uma instituição divina. Temos as autoridades que estão a serviço de um bem”, argumentou.

Disse que a celebração da noite é pelo sagrado que rompe no tempo. Lembrou do papa Francisco, que na sua encíclica Amoris laetitia, uma Exortação Apostólica Pós-Sinodal, citou o bem da família, afirmando que é decisiva para o futuro do homem. “Começa no seu primeiro capítulo nos mostrando para olharmos à família a luz da palavra. Foi a partir da criação do primeiro homem e da primeira mulher, que foi dado o governo da criação”, comentou. Detalhou também a encíclica de São João Paulo II, ‘Familiaris Consortio’, que fazia surgir a beleza e a sacralidade da família. “O Projeto Família não tem apenas um dever pastoral, tem um dever sagrado. Hoje vemos quantas ameaças tentam macular o que é divino. A família é sagrada, pois procede da luz do matrimônio, a presença viva e eficaz de um Deus que está agindo,” avaliou

Ele comentou que o lema do projeto é que só haverá um mundo novo se houver famílias novas. Observa que a família tem essa força da recriação porque ela não perde seu princípio. Evandro afirmou que devemos celebrar as famílias todos os dias. “Hoje celebramos um feito, um fato, mas devemos sempre lembrar que a família é celebração para todas as horas. Um pai não deixa de ser pai, a mãe não deixa de ser mãe e o filho não deixa de ser filho. Podemos contar os filhos da paternidade material, mas da espiritual não. O que somos hoje, devemos a uma família. Mas essa árvore pode dar frutos ruins, quando não são zeladas! Temos um dever inalienável de nos ocuparmos com a evangelização da família”, finalizou.

Fotos: André Lima