A Câmara Municipal de Fortaleza realizou, nesta sexta-feira (15), Sessão Solene para a entrega da Medalha Boticário Ferreira e do Título de Cidadão de Fortaleza ao ex-vereador Samuel Braga. A entrega da Medalha teve como autor o vereador Professor Elói (PATRI), através do requerimento 0823/2018. Já o decreto Legislativo 0289/2007 que concedeu o Título de Cidadão, foi proposto pelo ex-vereador Mário Hélio, por iniciativa do vereador professor Elói, que presidiu a sessão. A mesa solene contou com a presença das seguintes autoridades: desembargador Suenon Bastos; Vicente Férrer, secretário adjunto de Planejamento do município; Marcondes Jucá, prefeito da cidade de Choró; vereador Márcio Cruz, primeiro suplente da mesa diretor da CMFOR.

Professor Elói ressaltou o destacado trabalho de Samuel Braga na área de meio ambiente, sendo o criador da Apa do Rio Cocó, e outras batalhas nesse setor. “Ele conseguiu, após duas tentativas, ser eleito pelo PMDB e depois foi reeleito. Disputou outras eleições sempre com destaca votação. Em 2012, fundou o PEN no Ceará, hoje Patriota, tornando-se o seu presidente. Esteve a frente de vários órgãos públicos sempre deixando um legado por onde passou. Essa homenagem é por demais merecida. Você é um homem honesto e honrado que sempre tem buscado a melhor qualidade de vida para povo cearense”, concluiu.

Após receber as comendas, Samuel Braga fez seu discurso de agradecimento. “Cumpre-me por dever de justiça utilizar essa para agradecer ao vereador Elói. Agradeço também ao ex-vereador Mário Hélio por ter me concedido o título de cidadão de Fortaleza. Agradeço aos principais responsáveis por moldar meu caráter, com disciplina e honestidade meus pais, que hoje se encontram na presença de Deus. Dizem que para que um homem se torne pleno, ele tem que escrever um livro, plantar uma árvore e ter filhos. Cumpri essas tarefas. Estreei aos 22 anos na literatura com o livro ‘40 histórias do Folclore do Ceará’; tive dois filhos Marina, estudante de Medicina que veio de João Pessoa; o outro filho André Luís, músico e cursando gastronomia na UFC. E plantei muitas árvores também”, ressaltou.

“Me sinto muito feliz de fazer parte desta seleta galeria dos que receberam essa comenda. Lembro dos colegas que partiram e deixaram saudade. Pelo reconhecimento por inestimáveis serviços a medicina mundial concedi o título a Albert Sabin e para diversas outras pessoas, como o artista Zé Pinto. Fazendo um passeio com a linha do tempo de minha infância. Muitas histórias me vem a mente. Quando criança um dos momentos de alegria foi encontrar-me com meu padrinho de batismo, o deputado Adail Barreto que fazia um comicio na minha cidade, ao me apresentar me deu uns trocados que tinha, que recebi com muita alegria. Nasci no sítio Guarani, distante da sede de Mombaça e meu sonho era estudar em Fortaleza. Vim para a capital aos 8 anos, trazido por minha avô”, detalhou.

Quando criança disse que foi acometido por uma doença e foi salvo pelo doutor Samuel Bedê. Depois de muitos anos esteve na casa do médico, já como vereador, para agradecê-lo. Ele citou vários momentos de sua vida ao lado de seus pais e irmãos. Sua trajetória como estudante e profissional, destacando sua atuação na área educacional. Como político citou projetos de sua autoria que tiveram grande repercussão na cidade, como a que criou a APA do Rio Ceará, o Parque Rio Branco e do Rio Cocó.

“Tive a iniciativa de propor algumas leis para garantir a preservação do patrimônio histórico. Um deles foi o da Praia de Iracema, que possibilitou a preservação do aterro, que hoje é o espaço do Réveillon; o tombamento Prédio do Estoril e da ponte metálica, da Igreja Santa Teresinha e da Cidade da Criança. Também propus a revogação da lei que garantia a construção de garagem subterrânea na Praça do Ferreira e apresentei projetos de proteção uso e de conservação de árvores e áreas verdes e a criação Patrulha do Verde; Criei o prêmio ambiental Morais Né, e fui autor da CPI das Praças que verificou o desaparecimento de 180 praças em Fortaleza. A CPI pesquisou desde 1949 a 1990”, recordou.

“Na Praia do Futuro só restou a Praça Bárbara de Alencar (ex-31 de março). O caso mais emblemático, foi o da Praça Barão de Passagem que foi doada a uma emissora de rádio e hoje sedia prédios. Fortaleza perdeu muito seu patrimônio. Outra CPI foi da Poluição Ambiental, quando conseguimos barrar muitas iniciativas que estavam prejudicando a cidade. Muitissimo obrigado meus amigos, que Deus Ilumine a vida de todos”, finalizou.

Perfil

Samuel Morais Braga. Nasceu em Mombaça, filho de José Aires Braga e de Raimunda de Morais Braga. Tem uma vida dedicada a educação. Graduou-se em pedagogia pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR) e pós-graduou-se pela Universidade Estadual do Ceará – UECE, em Educação Ambiental. Iniciou sua trajetória profissional como professor de cursinho e, em seguida, diretor fundador do Colégio Madre Teresa de Calcutá, Curso Skuadrus, Skema e Equipe.

Foi Vereador de Fortaleza por duas Legislaturas: 1982/1988 e 1989/1992, tendo deixado um legado incalculável de projetos aprovados e transformados em lei, como por exemplo, Lei que transformou em Área de Proteção Ambiental a Bacia do Rio Coco; Lei que criou a Zona de Preservação Histórica da Praia de Iracema; Leis que garantiram o tombamento do Estoril, da Ponte Metálica, da Capela de Santa Teresinha; do Parque da Liberdade (Cidade da Criança), além do seu trabalho dedicado em defesa de nossas áreas verdes, praças, parques, rios e lagoas no município de Fortaleza

Ainda no exercício de seus mandatos, foi autor de duas CPIs – a CPI das Praças (apurou o desaparecimento de 180 praças de Fortaleza) e a CPI da Poluição Ambiental (apurou a origem, as causas e consequências dos diversos tipos de poluição em nossa cidade).

Exerceu outras atividades que marcaram sua trajetória pelos caminhos da educação e política, dentre as quais: Membro do Conselho Municipal de Meio Ambiente, do Conselho Estadual de Meio Ambiente e do Conselho Municipal de Turismo, Presidente da Sociedade Cearense de Defesa do Meio Ambiente, Chefe de Educação Ambiental da SEUMA, Gerente da Célula de Desenvolvimento Sustentável da SEUMA.