A Câmara Municipal de Fortaleza realizou Sessão Solene em homenagem ao Dia do Escoteiro e do Escotismo. A homenagem foi proposta através do requerimento 622/2019, de autoria do vereador Jorge Pinheiro, aprovado por unanimidade pelo plenário da Casa. Segundo Pinheiro, a data comemorativa foi criada através de uma proposta de sua autoria com o objetivo de prestar as devidas homenagens aos grupos de escoteiros, da Região Escoteira Seção Ceará, e da União dos Escoteiros do Brasil (UEB), a ser celebrada em 22 de fevereiro de cada ano.

Em nome do vereador Antônio Henrique, presidente da CMFor, presidiu a solenidade o vereador Jorge Pinheiro. A mesa de honra foi composta por: Luíza Flávia Almeida, diretora-presidente da União dos Escoteiros do Brasil região CE; Tiago Alves, coordenador do Distrito Metropolitano de Fortaleza; Maria Creusa Oliveira, presidente do grupo escoteiro Cristo Redentor; Sandra Santos, coordenadora dos Lobinhos (Aquelá), do Grupo Escoteiros Eudoro Correia; Artur Amorim Martins, Escoteiro do Grupo Eudoro Correia.

Em sua saudação aos presentes, o vereador Jorge Pinheiro destacou que propôs comemorar o Dia do Escoteiro e do Escotismo no 22 de fevereiro de 2019, após uma conversa com o escotista Marcos Aurelio Feitosa, em uma solenidade realizada na Câmara em homenagem aos 43 anos do Bairro Cristo Redentor e lançamento do livro sobre o Padre Caetano de Tilesse. “Sabemos que o Dia do Escoteiro é dia 23 de abril, mundialmente, mas escolhemos essa data por ser o dia do aniversário do fundador do movimento escoteiro Bader Power. Quando era criança tinha o desejo de ser escoteiro e as várias pessoas que falei sobre isso, tinham o mesmo desejo. Via filmes, valores, palavra do escoteiro na TV. E hoje quando ser quer falar de ombridade, de palavra de honra, lembramos do escoteiro. Eu não sabia que existia em Fortaleza o movimento e grupos, por isso que na época não aderi ao movimento”, disse.

“Sempre admirava a máxima de se fazer uma boa ação por dia, Esses valores que a gente via sendo mostrado em televisão, ficou sempre no meu imaginário. Estamos propondo politicas públicas para mudar essa realidade em que vivemos. Temos que investir naqueles que podem mudar nossa realidade – que são nossas crianças e jovens. Não estamos aqui fazendo favor, queremos investir, divulgar, apoiar para esse trabalho de vocês possa ser conhecido. E essa homenagem pode marcar uma nova era. A cada um de vocês que fazem esse trabalho, muito obrigado. Vocês doam a vida em prol dessas crianças. Com certeza vocês têm muitos exemplos de pessoas que passaram pelo escotismo e hoje são pessoas de bem, de honra, de honestidade, de não voltar atrás na palavra dada. Isso é muito importante na vida de hoje. Talvez no dia mundial do escoteiro possamos fazer uma nova audiência aqui,” concluiu.

Em seguida, ele abriu a palavra para personalidade presentes, como Sandra Valda, do Grupo de Lobinhos (Aquelá) do Grupo Escoteiro Eudoro Correia. Ela disse que chegou ao escotismo como mãe. “Hoje são 21 anos de movimento. Ele é um estilo de vida, faz parte de minha vida. Vamos fazer neste ano 99 anos. Tivemos na diretoria da primeira Associação dos Escoteiros Cearenses, nome como Lourenço Filho, Hermínio Barroso e Meneses Pimentel. Foi daqui do Ceará que quatro jovens realizaram uma saga para mostrar a fibra do nosso povo ao viajarem a pé para São Paulo. Hoje estou muito feliz pela existência dessa lei que criou essa data comemorativa. Hoje é o dia do nascimento do nosso fundador, que criou um movimento, hoje mundial, que está na vanguarda da educação da melhor qualidade. O movimento é para os jovens, mas se não tiver adultos para orientá-los o movimento não ocorre como deveria, por isso existem os escotistas,” ressaltou.

Em seguida falou o jovem escoteiro Artur Amorim Martins, que afirmou ser uma difícil missão falar sobre o que é ser escoteiro. “Vou falar sobre minha experiência e como isso pode contribuir para o mundo. Tive oportunidade de conhecer outras culturas, outros estados e países. No “Jaboree em Natal”, que reuniu cerca 4.500 escoteiros, conhecemos um grupo de escoteiros da tribo Ticuna. Tivemos oportunidade de nos comunicar. O chefe deles nos ensinou algumas palavras. Na competição de canoagem nossa equipe chegou em segundo lugar e eles em primeiro. Escoteiro é amigo de todos e do irmão escoteiro. Seja onde for, se encontrar um escoteiro, ele vai o reconhecer e vai se alegrar. Onze dos doze homens que foram a Lua são escoteiros. Se aprende muita coisa, principalmente enfrentar desafios e ultrapassar dificuldades”.

Falou ainda, Claudemar Maia, do grupo Padre Caetano de Tilesse, que fez a leitura de um texto agradecendo a homenagem. Em seguida, foram entregues certificados em homenagem ao Dia do Escoteiro e do Escotismo para as seguintes personalidades: Rui de Castro Sá Barreto (Grupo Escoteiro do Mar Dom Bosco); Tobias Magalhães Rodrigues dos Reis (Escoteiros Santos Dumont); João Marcelo (Grupo Escoteiro Eudoro Correia); Paulo Marques (Grupo Escoteiro Yolanda Queiroz); Ana Queiroz (Grupo Escoteiro João Nogueira Jucá); Antônio Círio Alves de Sousa (Grupo Escoteiro Francisco de Assis); Marcos Aurélio Feitosa (Grupo de Escoteiro Padre Caetano de Tilesse); Jamile Soares e Oliveira (Grupo Escoteiros Sargento Prata); José Ricardo Lins (Grupo Escoteiro Companhia Martins); Francisco Josivaldo Pinheiro (Grupo de Escoteiros do Ar Pinto Martins); Felipe Gonçalves de Melo, (Grupo de Escoteiros do Ar Sargento Rômulo Tavares); Francisco José Tavares de Sousa (Grupo Escoteiro do Ar Soldado Gomes); Ricardo Bastos Barros (Grupo Escoteiros do Ar Marcílio Dias); Maria Creusa Vieira de Oliveira (Grupo de Escoteiros Cristo Redentor); Luíza Flávia Rodrigues Soares de Almeida, em nome da União dos Escoteiros do Brasil, seção Ceará.

Em nome dos homenageados falou Luíza Flávia Almeida, diretora-presidente da União dos Escoteiros do Brasil – Região do Ceará. “O dia 22 de fevereiro é um dia importante, pois marca o nascimento de Bader Power. Esse é um momento de relembrar de BP, como o chamamos. Por ter dedicado sua vida a essa causa educativa, que hoje reúne mais de 50 milhões de pessoas dedicadas a formação de um mundo melhor. Outro motivo importante é dedicado a companheira de Bader Power, que criou o movimento Bandeirantes. Depois, no Quênia ele morreu próximo de completar 84 anos. No Brasil, são mais de 100 mil escoteiros, isso se deve aos lideres. Eu só tenho a agradecer os órgãos públicos por nos abrigar e apoiar”.

Por fim falou Tiago Alves, coordenador do Distrito Metropolitano de Fortaleza, que disse que o movimento oferece jovens que sabem seus direitos e seus deveres. “Mas também é formado dos escotistas (os adultos), que são fundamentais para a formação dos jovens. Muitas vezes abrimos mão de estarmos com nossa família, com nossos filhos. O trabalho é 24 horas por dia. Como coordenador do Distrito Metropolitano quero agradecer aos escotistas pelo belo trabalho que fazem”, finalizou.

Confira imagens da solenidade em nosso Flickr

Foto: André Lima